segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

Exigência… a nós e aos outros

Já o escrevi várias vezes: O Benfica tem sido severamente prejudicado pelas arbitragens, contrastando com os frequentes benefícios concedidos a Sporting e F.C. Porto. Constatar esta evidência não desculpabiliza o nosso percurso aquém das expectativas, embora saibamos que as dinâmicas de vitória, tão relevantes para as equipas quanto os aspectos técnicos e tácticos, obtêm-se… com vitórias. Com arbitragens normais, isto é, em que houvesse boas e más decisões equitativas quanto aos clubes afectados, a classificação seria mais favorável aos nossos interesses, mesmo que os problemas sentidos pela nossa equipa subsistissem.

Neste contexto, o Benfica não só terá que ser superior aos seus adversários, como necessita de um esforço adicional para ultrapassar as dificuldades criadas por quem tem o dever de imparcialidade mas não o tem demonstrado.

O Benfica é bicampeão nacional, tem que ser exigente consigo próprio e com os outros. Deverá identificar as suas lacunas e colmatá-las. Terá que perceber os seus erros e não repeti-los. E não poderá permitir que sejam os árbitros a acentuar as suas fases menos boas e a disfarçar idênticos constrangimentos dos nossos adversários.


A fruta, o café com leite e as viagens apresentaram bons resultados no passado. A constante auto-vitimização e atordoadas em todas as direcções estão a produzir efeitos no presente. Contudo, nunca serão esses os caminhos trilhados pelo Benfica. Preferimos trabalhar e preparar o futuro, sem desvios motivados pelas circunstâncias e imunes à tentação de utilização de estratégias que só uma comunicação social subserviente ou demissionária das suas funções não desmascara. Denunciemos então!

Jornal O Benfica - 25/12/2015

Fim de quarentena

Todos estamos agradecidos aos benfiquistas que há uns poucos meses dedicaram parte do seu tempo, dinheiro e esforço para homenagearem vint...