segunda-feira, 19 de abril de 2021

Urge à polícia actuar

Recordamo-nos do miúdo benfiquista que, em Braga, orgulhoso por trajar a camisola do glorioso, foi obrigado, qual perigoso provocador, a despi-la sob as ordens e supervisão de zelosos responsáveis da escola que frequentava. Também nos lembramos dos inúmeros actos de vandalismo à casa do Benfica de Braga, perpetrados por criminosos com recurso a sprays e pedregulhos. E recentemente houve o caso do (vai-se a ver) incauto que, por estar vestido à Benfica na “cidade dos arcebispos”, foi agredido com uma tocha.

Assumindo, quiçá abusivamente, que os agressores são adeptos do Braga, não se tratará de sincretismo, pois tal pressuporia a combinação de princípios de diversas doutrinas, e isto é gente sem princípios nem inteligência, mas provavelmente de mimetismo, não se apercebendo eles, ironicamente, que, por muito que lhes proclamem ódio, é nalguns vimaranenses que se inspiram.

A necessidade sentida por uma franja de adeptos, eufemisticamente apelidados de “radicais”, de demonstrarem que se equiparam a outros nos níveis de imbecilidade, só não dá pena porque há vítimas. A cidade de Braga e as suas gentes, cuja esmagadora maioria por certo repudia estes comportamentos indignos, não merecem que estes actos se tornem recorrentes, exigindo-se pronta prevenção e acção policiais.

A todos os bracarenses que não se revêem nestas insídias, nomeadamente aos muitos benfiquistas que lá vivem, apela-se a que não soçobrem à tentação da reacção violenta. As autoridades, mais cedo ou mais tarde, terão de actuar em conformidade. E este é um problema que não se cinge a Braga ou Guimarães, também subsiste no Porto e em Lisboa e terá de ser solucionado devida e eficazmente por quem de direito.

Jornal O Benfica - 16/4/2021

Números da semana (19)

7

Jogos consecutivos da nossa equipa de futebol sem qualquer golo sofrido na Liga NOS, um registo que só foi superado 3 vezes no historial benfiquista na competição. A folha limpa com o Gil Vicente, se concretizada, igualará a 3ª melhor série, conseguida em 1971/72;

11

Gonçalo Ramos simula disparos na celebração dos golos marcados e já demonstrou que tem gatilho fácil. Vai com 11 golos pela equipa B na presente temporada em apenas 9 jogos. Ocupa a 3ª posição na lista dos marcadores da Liga SABSEG, a somente um dos líderes;

16

Com o golo marcado em Paços de Ferreira, Rafa passou a ser o 3º, ex aequo com Pizzi, no ranking dos golos e assistências nesta época. Marcou 9 golos e fez 7 assistências. Darwin soma 21 (13+8) e Seferovic lidera com 26 (20+6);

20

Golos marcados por Seferovic nas competições oficiais de 2020/21, perfazendo uma média ligeiramente superior a meio golo por jogo (20/39), o que é assinalável tendo em conta que foi suplente utilizado em 16 ocasiões. Na sua época mais prolífera, em 2018/19, precisou de 141.1 minutos para assinar cada um dos 27 golos marcados, enquanto agora fá-lo a cada 121.8 minutos (inclui tempos adicionais). Em Paços de Ferreira bisou pela sexta vez em 2020/21, igualando o feito de há dois anos (e leva 6 assistências, tantas quanto em 2018/19);

63

E com os 8 golos marcados por Seferovic nos últimos 7 jogos, o suíço tem vindo a subir aceleradamente no ranking dos goleadores do Benfica. No início deste ciclo ocupava, com 55 golos, a 42ª posição, agora é o 36º melhor de sempre, com 63. No campeonato Nacional soma 48 e está a um golo de igualar Reinaldo, o 30º;

212

Pizzi passou a ser o 2º jogador com mais jogos pelo Benfica no Campeonato Nacional neste milénio.

Jornal O Benfica - 19/4/2021 

segunda-feira, 12 de abril de 2021

Fantástico voleibol

Honra a quem a merece: a nossa equipa de voleibol é extraordinária e revalidou o título nacional com enorme mérito e maior competência. Cilindrou o Sporting nas meias-finais em três jogos e aplicou a mesma receita ao Fonte do Bastardo, qual ciclone devastador das pretensões dos açorianos. Na fase decisiva da temporada, seis triunfos em seis jogos, nenhum set perdido na final. Fabuloso!

Desonra a quem se põe a jeito: a postura da Federação de voleibol foi, nesta final, inqualificável. Não haver taça entregue ao campeão e, ainda mais grave, não haver um único dirigente presente no pináculo das competições nacionais é incompreensível. A explicação dada pela FPV só adensou a ideia de estarmos perante um dos mais lamentáveis episódios recentes no desporto português. O contexto pandémico, ao contrário do manifestado pela federação, não justifica a ausência. Ambas as equipas viajaram, também os árbitros e outros o fizeram, repetindo aquilo que todos os intervenientes na modalidade praticaram ao longo da temporada, expondo-se ao vírus em prol do voleibol. Com esta decisão, os dirigentes federativos não fizeram mais que demonstrar um profundo autismo quanto ao papel que lhes é confiado, um gritante amadorismo e um manifesto desrespeito por quem tanto se dedicou ao longo do ano.

E um aspecto lateral, mas que conviria acautelar: ao comentador das transmissões da RTP Açores (nada a apontar aos jornalistas) só lhe faltou os pompons para parecer cheerleader afecto ao clube da casa. Não foi desrespeitador para com o Benfica – e era só o que faltava – mas há limites para o sectarismo. Ainda duvidei se não estaria a ver uma emissão da Fonte do Bastardo TV...

P.S.: Tivemos um penálti a nosso favor no campeonato!!!!!!!

Jornal O Benfica - 9/4/2021

Números da semana (18)

1

Afinal é possível! Ao fim de 25 jornadas, apesar das várias oportunidades perdidas, desde o início da prova, que os árbitros dispuseram para tomar decisões justas, lá tivemos um penálti assinalado a nosso favor;

6

São já 6 os jogos consecutivos da nossa equipa de futebol sem qualquer golo sofrido na Liga NOS, um registo que só por 8 vezes foi superado no historial benfiquista na competição. A última destas séries ocorreu em 2014/15. Olhando ao cronómetro, são 635 minutos sem golos sofridos, ainda longe dos 847 de há 6 anos (incluindo tempos adicionais);

9

Somos campeões nacionais de voleibol pela 9ª vez, a 6ª nas últimas 8 temporadas (concluídas). Tem sido notável o percurso benfiquista recente nesta modalidade. Finalmente chegámos ao pódio dos campeões nacionais. Com a conquista do Campeonato e Supertaça nesta época, passámos a ser o clube com mais troféus ao mais alto nível no voleibol em Portugal (ressalvando, claro, que há troféus mais importantes que outros);

10

Com o golo apontado ao Marítimo, Waldschmidt atingiu a melhor marca pessoal de golos numa temporada em competições oficiais ao serviço de clubes;

50

Jogos de Taarabt no Campeonato pelo Benfica. Duvidou-se se alguma vez envergaria a camisola do Benfica num “jogo oficial” e já são 80 no currículo;

100

Emílio Andrade Júnior, sócio nº1 do Sport Lisboa e Benfica, completou 100 anos de vida no passado 2 de Abril. Muitos parabéns!

192

Número de jogos, incluindo particulares, de Rafa e Cervi de águia ao peito, o que lhes permite figurar no top 100 deste ranking (98º). Igualaram o registo de Miguel e Fejsa. No actual plantel, Pizzi é o que tem a posição mais alta, a 33ª, com 347 partidas. Nené lidera com 802.

Jornal O Benfica - 9/4/2021

terça-feira, 6 de abril de 2021

E que tal rever o fairplay financeiro?

Crónica publicada no Dinheiro Vivo. Também publicada em papel, no suplemento que acompanha as edições do Diário de Notícias e Jornal de Notícias.

Dinheiro Vivo - 3/4/2021

Números da Semana (17)

1

Tricampeãs nacionais, vencedoras das últimas 4 Taças de Portugal e Supertaças, acrescentaram a Taça da liga ao palmarés benfiquista naquela que foi a primeira edição da prova. A nossa equipa feminina de futsal é brilhante, está invicta há 85 jogos e lidera o campeonato com margem folgada. Que assim continuem por muitos anos;

3

Vencemos o Fonte do Bastardo por 3-0 no primeiro confronto da final do Campeonato Nacional de voleibol, naquele que foi, na presente temporada, o desafio menos equilibrado entra ambas as equipas. Confio que se tratou de um bom prenúncio para esta final. Faltam dois triunfos;

20

De acordo com o IFFHS, o Benfica foi o 20º melhor clube do mundo, em futebol, e o melhor português ao longo da última década (2011-2020). Este ranking é elaborado com base nos resultados de jogos em competições nacionais e internacionais, sendo que a cada competição é atribuído um grau de dificuldade. Nesse período conquistámos 5 Campeonatos Nacionais, 2 Taças de Portugal, 5 Taças da Liga e 5 Supertaças, disputámos duas finais da Liga Europa e vencemos um pouco acima de 69% dos jogos realizados (nas duas décadas anteriores, a percentagem de triunfos variou entre 58 e 59%);

34

A excelente vitória no reduto da Oliveirense, nos quartos-de-final da Taça de Portugal de basquetebol, assentou no formidável acerto colectivo (58% de 3 pontos!). Quincy Miller liderou os marcadores com 34 pontos. É preciso recuar a 2015/16 para encontrarmos um jogador benfiquista com uma pontuação superior num só jogo (Daequan Cook, duas vezes – 44 e 36; Ivica Radic, uma – 38);

90

Artur Santos completou 90 anos de idade. Campeão europeu, campeão nacional 4 vezes e vencedor de 5 Taças de Portugal. É uma grande figura do Benfica. Parabéns!

Jornal O Benfica - 2/4/2021

Sr. Albano

Se não viu a reportagem especial intitulada “Amor à Camisola”, transmitida pela BTV esta semana, faça-se um favor e veja. É, de facto, imperdível.

Ao longo de uma hora ficamos a conhecer tudo o que envolve a preparação de um jogo no que toca à esfera dos equipamentos e percebemos de forma cristalina a importância dos técnicos de equipamento para o espírito do grupo.

Devido ao cargo de dirigente do meu pai, fui um privilegiado pois cresci no seio da fabulosa equipa de basquetebol do Benfica nos anos 90. Vi todos os jogos na Luz e acompanhei a equipa em inúmeras deslocações. Fui muitas vezes questionado por amigos sobre jogadores e treinadores, mas nunca sobre técnicos de equipamento (ou fisioterapeutas).

Na altura, o roupeiro era o Sr. Albano. Talvez ainda se lembrem dele. Era um homem baixo e franzino, bem mais velho que os jogadores, sempre presente no banco benfiquista, responsável pelas águas e toalhas, além da limpeza do piso de jogo quando necessário.

Mas não imaginam o trabalho diário e, sobretudo, a relação de proximidade que tinha com os jogadores, os quais, independentemente do reconhecimento prestado pelos adeptos, todos o tratavam com enorme respeito. Por exemplo, a ninguém, sem excepção, era permitida a entrada na rouparia sem a devida autorização do Sr. Albano. Este, por sua vez, zelava por que nada faltasse aos jogadores – à primeira vista era escravo deles – mas estes, por sua vez, tratavam-no com uma reverência imperceptível, não obstante as costumeiras brincadeiras restritas a limites tácitos.

Obrigado BTV por esta homenagem. É um serviço ao Benfica (ao desporto) que os adeptos tenham oportunidade de perceber a relevância destas pessoas no sucesso das equipas.

Jornal O Benfica - 2/4/2021

Números da Semana (16)

5

Com a conquista da Taça da Liga pela nossa equipa feminina de futebol, são já 5 os troféus conquistados pelo Benfica na 3ª época de actividade nesta vertente do futebol;

22

Com um golo e uma assistência conseguidos em Braga, Seferovic passou a liderar o ranking benfiquista, nesta época, destes dois itens estatísticos combinados (18+4). Seguem-se Darwin, com 20 (12+8), Pizzi, 16 (13+3), Rafa, 15 (8+7) e Waldschmidt, 12 (9+3);

46

Golos de Seferovic no Campeonato. Os 6 golos marcados nas últimas 4 jornadas (marcou em todas) permitiram-lhe ascender à 33ª posição (em igualdade com o 32º, Francisco Rodrigues) dos goleadores benfiquistas na principal competição nacional. Considerando todas as competições oficiais, totaliza 61 tentos, tantos quanto Reinaldo, o 37º no ranking;

47

Incluindo os golos assinados em jogos particulares, Rafa chegou aos 47 de águia ao peito (73º no ranking dos goleadores) e igualou o registo de Iaúca (-105 jogos), Salvador (-56) e Gaitán (+108). Marcou 45 em competições oficiais, sendo o 51º melhor de sempre do Benfica;

347

Jogos de Pizzi pelo Benfica, incluindo particulares. Igualou José Torres e é o 33º com mais jogos. Trata-se de um registo notável, ainda mais por ser em 7 temporadas apenas. Todos os atletas com mais jogos que Pizzi foram utilizados em mais temporadas que o transmontano. Só dois desses 32 em menos de 10 épocas (Maxi Pereira, 8; Carlos Manuel, 9);

536

Minutos passados (incluindo tempos adicionais) desde que o Benfica sofreu o último golo na Liga NOS (em Moreira de Cónegos, de grande penalidade), superando os 519 minutos incólumes da 28ª à 34ª jornadas em 2014/15 (também 5 jogos a nulo). Agora, o anterior melhor registo aconteceu também em 2014/15, com um total de 847 minutos sem conceder golos a adversários.

Jornal O Benfica - 26/3/2021

Prejudicados

O recorde já fora estabelecido em Faro, ao completarmos as primeiras vinte jornadas do campeonato sem qualquer grande penalidade assinalada a nosso favor. Desde então continuamos sem penáltis, apesar de, por duas vezes, graças ao VAR, os festejos pelo proto penálti inédito se terem revelado extemporâneos.

O Benfica tem razões de queixa neste domínio, embora estes dois últimos casos não devam ser acrescentados ao rol da crítica. Aceita-se ambas as decisões e a honestidade intelectual é uma marca do benfiquismo. Não clamamos, sem razão para tal como outros fazem, por isto ou aquilo da arbitragem. No entanto, não podemos, verificando-se uma óbvia tendência de prejuízo à verdade desportiva, “comer e calar”, como diz o povo.

Objectivamente, temos sido prejudicados ao longo da época. Bastaria, por exemplo, que tivessem sido assinalados os penáltis evidentes em Moreira de Cónegos, Faro e na Luz, com o V. Guimarães, para que, se concretizados, estivéssemos agora a sete pontos da liderança. E outros casos houve anteriormente.

Julgo que se deve aceitar o erro no futebol, mesmo com a utilização do VAR. O que é inadmissível, porém, são os erros tendenciosos. Em 2020/21, a extrema dificuldade em se assinalar penáltis a favor do Benfica só encontra paralelo na recorrente facilidade com que são concedidos ao F.C. Porto e na ocasional boa vontade em lances favoráveis ao Sporting.

Claro que o Benfica poderia e deveria ter-se exibido sempre ao nível do que tem feito nas últimas jornadas e fizera na entrada do campeonato, com justa margem de tolerância para o período em que muitos jogadores sofreram de COVID e demoraram a recuperar. Mas bastariam boas arbitragens e a pontuação seria outra, não podendo este facto ser escamoteado.

Jornal O Benfica - 26/3/2021

Números da semana (178)

1 Terminadas as principais 7 ligas europeias e a Liga dos Campeões, Trubin foi o melhor guarda-redes sub-23 nos seguintes dados estatístic...