terça-feira, 31 de agosto de 2021

Grande Benfica!

Não me parece exagero apelidar de épica a noite em Eindhoven. 64 minutos reduzidos a dez, sendo que o jogador em falta foi tão só Lucas Veríssimo, um habitual esteio da nossa defesa, e o seu substituto natural nesta partida era Vertonghen, convocado após regresso de lesão, frente a um fortíssimo PSV, uma máquina de futebol ofensivo que nos 8 jogos anteriormente disputados já marcara 22 golos.

Os nossos jogadores foram brilhantes! Inexcedíveis no empenho, superiormente organizados, inabaláveis na adversidade, híper conscientes da necessidade de entreajuda e magníficos executantes da estratégia defensiva implementada por Jorge Jesus. Foram sobretudo extraordinariamente competitivos, personificaram a mística benfiquista e melhor elogio não se lhes pode prestar.

Estamos apurados para a fase de grupos da Liga dos Campeões pela 11ª vez nas últimas 12 temporadas, confirmando a ideia de que o desaire da época passada se tratou de um acidente sob a circunstância inédita da disputa num só jogo, e fora de portas, do playoff de acesso a esta fase da prova.

Desde o início de temporada que a equipa tem patenteado mentalidade competitiva fortíssima. Eindhoven foi apenas mais um exemplo, o mais emblemático, é certo, dessa característica essencial para os grupos que se querem bem-sucedidos. Em todos os jogos, sem excepção, notou-se sede de vitória e nada houve a apontar, em momento algum, à sua atitude.

Com este espírito de grupo, focados no cumprimento dos objectivos, estaremos sempre mais próximos dos triunfos. Frente ao PSV, como em Moreira de Cónegos, ficou demonstrado que esta é uma equipa à Benfica! Que assim continue. Como disse Weigl após a partida em Eindhoven, “todos juntos”!

Jornal O Benfica - 27/8/2021

Números da semana (38)

3

Três vitórias a abrir no Campeonato da nossa equipa B, com o triunfo frente ao Trofense a dar continuidade ao excelente início de época e depois de dois jogadores importantes (Tiago Araújo e Vukotic) terem sido emprestados a clubes da primeira Liga para evoluírem num patamar competitivo mais exigente;

9

Já são 9 as vitórias consecutivas em deslocações a contar para o Campeonato Nacional. É a 5ª melhor série de sempre;

E Vertonghen regressou de lesão em Eindhoven. Com a expulsão de Lucas Veríssimo, pedia-se a entrada do belga. Jorge Jesus confiou em Gilberto e Rafa, adaptando-os a novas posições, para “dar tempo” a Vertonghen, que, assim, só teve de entrar à passagem do 54º minuto. Foram 9 minutos de assinalável mentalidade competitiva de Gilberto e Rafa, em linha com o que eles e os colegas fizeram em toda a eliminatória;

11

Presenças na fase de grupos da Liga dos Campeões nas últimas 12 temporadas;

35

André Almeida completou 286 jogos em competições oficiais pela equipa de honra do Benfica, igualando o registo de Artur Santos ao serviço do clube. É agora o 35º no ranking dos futebolistas com mais “jogos oficiais”;

37,243

Milhões de euros, o prémio reservado ao Benfica, 14º no ranking de clubes da UEFA nos últimos 10 anos entre os clubes apurados para a fase de grupos da Liga dos Campeões;

58,33%

12 golos em 7 jogos, e a invulgaridade de mais de metade com o pé esquerdo. Deve ser inédito ao fim de 7 partidas;

64

Minutos reduzidos a 10 em Eindhoven frente a um PSV que tem mostrado, desde o início da temporada, fortíssimo pendor atacante e muita qualidade. Os nossos jogadores foram heroicos, Jorge Jesus brilhante na forma como soube manter a equipa sempre organizada.

Jornal O Benfica - 27/8/2021

Futebol português

O futebol português tem idiossincrasias que o tornam peculiar, tornando-o incompreensível a observadores menos atentos. Ora vejamos as mais recentes:

- Um guarda-redes distraído não prestou atenção à sinalética de um árbitro que, muito bem a seguir as recomendações em prol da maximização do tempo útil do jogo, assim como da rapidez e fluidez do mesmo, em suma, em defesa do espectáculo de acordo com as regras, não interrompeu a partida para a marcação de um fora de jogo. O guarda-redes soltou a bola como se o jogo tivesse sido interrompido, um avançado apercebeu-se e a reagiu e o guarda-redes acabou por jogar a bola com a mão fora da área e foi bem expulso. No dia seguinte, uma panóplia de ex-árbitros, agora analistas, ao invés de se limitarem a assinalar o mérito da decisão, enveredaram por críticas ao árbitro invocando o espírito do jogo e reclamaram por bom senso. Leia-se, segundo estas cabeças pensantes, o árbitro deveria ter decidido contra as regras em nome de supostos espírito do jogo e bom senso. Todos fizeram longa carreira na arbitragem, o que explica muita coisa;

- E temos mais uns candidatos a analistas de arbitragem num qualquer jornal daqui a uns 20 anos. Estes assumiram a sua candidatura no Famalicão – Porto. Com “bom senso” e respeito pelo “espírito do jogo”, o Porto não perdeu pontos;

- O cartão de adepto, além de ser uma panaceia, viola direitos consagrados na constituição. E é preconceituoso em relação aos adeptos… Talvez o Secretário de Estado do Desporto perceba melhor assim a gravidade do que promoveu: como já houve políticos condenados por crimes, a partir de agora deveria exigir-se aos cidadãos na política um cartão de político, pois são potenciais criminosos. É absurdo, não é?

Jornal O Benfica - 20/8/2021

Números da semana (37)

2

Duas vitórias a abrir no Campeonato da nossa equipa B, com a deslocação a Penafiel a dar continuidade à excelente estreia frente ao Nacional;

5

Desde 1982/83, a primeira temporada de Eriksson no Benfica, que não vencíamos os primeiros 5 “jogos oficiais” da época. Este feito foi alcançado pela 6ª vez em toda a nossa história;

48

Rafa chegou aos 48 golos em competições oficiais de águia ao peito e é agora o 48º no ranking dos goleadores do Benfica (considerando todos os jogos soma 50 e é o 67º). Nas competições europeias soma 6 golos (3 na Liga dos Campeões), só 28 jogadores (29 na LC) marcaram mais pelo clube nestas provas. E passou a ser o 13º melhor marcador neste estádio da Luz (incluindo jogos particulares);

50

Vinícius atingiu, frente ao Arouca, a meia centena de jogos em competições oficiais pelo Benfica;

50%

10 golos em 5 jogos, e a invulgaridade de metade com o pé esquerdo;

90

Jorge Jesus chegou às 9 dezenas de jogos pelo Benfica em competições europeias. Com o actual treinador, o Benfica venceu mais de metade (46) dos jogos, empatou 21 e perdeu 23 (um no desempate por pontapés da marca de grande penalidade);

300

André Almeida regressou aos relvados na partida com Arouca passados 300 dias da grave lesão sofrida em Vila do Conde. A enorme ovação que lhe foi dedicada pelos benfiquistas presentes no estádio da Luz foi mais que justa. E, no desafio com o PSV, passou a ser o 36º com mais participações em “jogos oficiais” da equipa de honra do Benfica;

334

Pizzi passou a ser o 20º no ranking dos jogadores com mais jogos pelo Benfica em Competições oficiais. Contando com os jogos particulares, já representou o clube em 365 ocasiões, sendo o 33º com mais participações.

Jornal O Benfica - 20/8/2021

Ouro e pechisbeque

Pichardo arrasou a concorrência no triplo salto e trouxe o ouro para Portugal, para grande alegria da nação, exceptuando, aparentemente, Nélson Évora e as suas viúvas.

Esteve bem José Manuel Constantino, presidente do COP, ao afirmar que Portugal só pode estar grato a Pichardo e a não se esquivar à polémica protagonizada por Évora, criticando-o implicitamente.

Talvez tivesse sido preferível que assumisse frontalidade, mas reconheço que tal centraria demasiado o mediatismo num outrora grande atleta, agora que o seu tempo claramente já passou, por muito que lhe custe a aceitar.

Mas o que Constantino não explicou (perguntaram-lhe?) foi a estranha ausência de referências aos clubes por parte de atletas durante os Jogos Olímpicos. Há rumores fundados de que existiu uma “recomendação” que as desaconselhou. Ao serviço de Portugal, que pouco ou nada faz pelo desporto, proíbe-se, por assim dizer, os atletas de referirem quem, de facto, lhes dá a possibilidade de singrarem ao mais alto nível. Bem justificado, pode aceitar-se o parco investimento do país, mas então que não se atropelem a aparecer nas fotografias junto dos campeões e reconheçam o mérito de quem o tem.

Com Pichardo é ainda mais gritante. Que não seja remetida para o esquecimento a deplorável “hesitação” da federação de atletismo em aceitar o contributo do nosso mais recente campeão olímpico, qual clube de fãs de Nélson Évora.

E uma palavra para o futebol. Ouro para os benfiquistas pelo apoio em Moreira de Cónegos e para a equipa que, notoriamente cansada e em inferioridade numérica, soube manter a vantagem e conquistar os três pontos. E ouro igualmente para o deserto nas zonas do cartão de adepto. Panaceias há muitas, mas esta é atentatória da dignidade…

Jornal O Benfica - 13/8/2021

Números da semana (36)

3

Levamos 3 vitórias nos 3 primeiros jogos oficiais na temporada. É apenas a 3ª vez que tal acontece desde 1991;

10

O PSV é o próximo adversário na Liga dos Campeões, um clube que já defrontámos 10 vezes, 7 delas em competições oficiais. Todos nos recordamos da final fatídica de Estugarda, em 1988, em que não ganhámos a Taça dos Clubes Campeões Europeus no desempate por pontapés da marca de grande penalidade, sendo, por isso, preferível recuarmos somente a 2010/11, temporada em que encontrámos, pela última vez, o clube do sul dos Países Baixos em competições europeias. Foi nos quartos-de-final da Liga Europa, vencemos, por 4-1, na Luz, e empatámos 2-2 em Eindhoven;

17,98

Triplo salto de Pichardo para o ouro. O nosso atleta dominou a prova e bastaria a primeira tentativa na final (17,61) para se sagrar campeão olímpico. Brilhante!

25

Números de confrontos com clubes dos Países Baixos nas competições europeias. Vencemos 10 (40%), empatámos 8 (32%) e perdemos 7 (28%), incluindo a derrota “nos penáltis” com o PSV. Neste século ganhámos 5 das 9 partidas realizadas, empatámos 3 e perdemos apenas uma;

50

Everton atingiu, em Moreira de Cónegos, a meia centena de jogos em competições oficiais pelo Benfica;

54

Pizzi usou a braçadeira em 54 jogos do Benfica, incluindo particulares, o que o coloca na liderança deste item estatístico entre os atletas que compõe o actual plantel;

100

Jogos, incluindo particulares, de Grimaldo pelo Benfica no estádio da Luz, tantos quanto Aimar e Quim. O trio ocupa a 10ª posição dos jogadores com mais jogos no actual estádio do Sport Lisboa e Benfica;

185

Jogos de Rafa pelo Benfica em competições oficiais, uma marca que o coloca no top 70.

Jornal O Benfica - 13/8/2021

A falácia do olimpismo português

Crónica publicada no Dinheiro Vivo. Também publicada, em papel, no suplemento que acompanha as edições do Diário de Notícias e Jornal de Notícias.

Dinheiro Vivo - 7/8/2021

Bom triunfo

Belo jogo da nossa equipa em Moscovo, estando à altura do exigido. Foi “chegar, ver e vencer”, sabendo-se que haverá ainda a segunda parte na Luz e que o apuramento para a eliminatória seguinte está por garantir.

Haverá certamente quem tente desmerecer a exibição e o triunfo benfiquistas, menosprezando a competência da equipa do Spartak Moscovo. Porventura os russos ter-se-ão exibido aquém do esperado, mas o que me interessa realçar é algo que me parece evidente: este Spartak não é inferior ao PAOK do ano passado.

A diferença no jogo de estreia desta e da época transacta esteve na nossa equipa. Na Rússia, ao contrário da “tragédia grega”, impusemos o nosso jogo, fomos coesos e organizados defensivamente, criteriosos nos passes, mais rápidos, soltos, entrosados e criativos no ataque posicional e sobretudo demonstrámos já ter uma equipa, algo que, no ano passado, só se verificou de forma consistente a partir de março.

Tal não surpreende. A equipa técnica, outrora recém-chegada, agora mantém-se, e o núcleo duro dos jogadores já está perfeitamente identificado com a ideia de jogo de Jorge Jesus. E as pinceladas de classe de João Mário, mestre no entendimento do jogo, preenchem a tela do nosso contentamento e lustram os esforços dos colegas. Nos seus pés a bola chega e parte redondinha, envolta em carinho e nunca se sentido abandonada ou maltratada.

E uma palavra também para Gonçalo Ramos que, entrado a frio, fez uma exibição competente, demonstrando inequivocamente a sua validade neste plantel.

Agora, mais do que pensar na segunda mão com os russos, há que redirecionar o foco para a deslocação a Moreira de Cónegos. A receita da vitória é simples: atitude e qualidade patenteadas em Moscovo.

Jornal O Benfica - 6/8/2021

Números da semana (35)

3:22.942

Fernando Pimenta, que já leva mais de 100 medalhas em competições internacionais, trouxe o bronze de Tóquio, fruto de uma prestação notável nos Jogos Olímpicos. O desempenho nas meias-finais deslumbrou, classificando-se no primeiro posto e estabelecendo o recorde olímpico, que lhe pertenceu durante algumas horas. Na final, os húngaros Kopasz e Varga foram mais fortes, com o primeiro a conseguir nova melhor marca olímpica e mundial;

37

E ao 37º jogo pelo Benfica em competições oficiais, Gilberto estreou-se a marcar, concretizando um excelente golo após uma magnífica assistência de Lucas Veríssimo, a sua primeira pelo Benfica em “jogos a valer”;

47

Que grande jogada do Benfica no primeiro golo da temporada em “jogos oficiais”. Rafa foi o autor, beneficiando de um passe magistral de João Mário. Tem agora 47 “golos oficiais” pelo Benfica, igualando o pecúlio de Luisão, e é o 49º posicionado no ranking de goleadores. Incluindo os jogos particulares, soma 49 golos, é o 69º melhor e integra um quarteto composto por si próprio, Alexandre Brito, Francisco Palmeiro e Luisão;

94%

João Mário completou 63 de 67 passes em Moscovo, a grande maioria deles ofensivos (que delícia o passe para o golo de Rafa) ou a darem fluidez ao jogo. Se alguém duvidava do acerto desta contratação, creio que ficou (positivamente) esclarecido;

60

Com 202 jogos em competições oficiais pelo Benfica, Grimaldo é o 60º neste ranking;

100

Chegou a ser proscrito por culpa própria, mas foi pelo seu mérito que soube reencontrar-se com o futebol, sendo hoje um elemento muito válido do nosso plantel. Refiro-me a Taarabt, que fez o centésimo jogo pela equipa de honra do Benfica em Moscovo (incluindo particulares).

Jornal O Benfica - 6/8/2021

Muito bem, Benfica!

Foi com enorme satisfação que soube da notícia do sucesso do empréstimo obrigacionista emitido pela Benfica, SAD. Era referido no prospecto que a finalidade da oferta passava pela “diversificação das fontes de financiamento, reforço da liquidez e desenvolvimento da atividade corrente”, pelo que está justificada a minha satisfação com o sucesso verificado. Mas há mais.

Num plano sério, o sucesso é sinal de confiança dos mercados na Benfica, SAD numa altura em que, devido à pandemia, predomina a incerteza no negócio do futebol e se verifica abrandamento da actividade económica em geral. Acresceu, enquanto vigorava a oferta pública de subscrição, o abalo institucional com a detenção de Luís Filipe Vieira e subsequente pedido de demissão. Nada disto impediu que a procura superasse a oferta. E é justo que assim seja: a Benfica, SAD, no passado, cumpriu atempadamente todos os reembolsos e pagamentos a que se comprometeu neste tipo de operações e goza de uma saúde económica e financeira invejável, não obstante os efeitos da pandemia e a ausência da fase de grupos da Liga dos Campeões na época passada.

Houve certamente benfiquismo a influir na decisão de investimento, mas os investidores não são mecenas ou patrocinadores de uma obra de caridade. Querem o retorno do seu investimento nos prazos programados. Aliás, como a Benfica, SAD sempre os habituou.

E, num plano menos sério, serviu também para ler e ouvir alguns sportinguistas e portistas regozijarem-se com o facto da procura pouco ter superado a oferta. Isto da parte de adeptos de clubes cujas SAD, tecnicamente falidas, já terem adiado pagamentos e não terem conseguido captar os valores pretendidos em empréstimos obrigacionistas. Caricato!

Jornal O Benfica - 30/7/2021

Números da semana (34)

2

Telma Monteiro foi eliminada dos Jogos Olímpicos ao 2º combate. Não estamos habituados à ausência da Telma nas fases derradeiras das provas e, por isso, surpreendeu-nos e desiludiu-nos. Mérito para a extraordinária judoca, cuja carreira ímpar, recheada de sucesso, é justamente admirada e elogiada. Regressará mais forte!

4

… de agosto será o dia do pontapé de saída, para o Benfica, das competições oficiais na presente temporada e logo com um embate em Moscovo a contar para as eliminatórias de acesso à fase de grupos da Liga dos Campeões. Ao longo da pré-época a equipa foi dando sinais de que estará pronta para o desafio, parecendo-me que apresenta já índices de organização defensiva assinaláveis, uma das pechas em parte da época transacta;

8

Está de parabéns o Museu Benfica Cosme Damião pelo 8º aniversário no passado dia 26. Nunca é demais relembrar a qualidade excepcional do nosso museu, recorrentemente premiado;

98

Pizzi voltou a marcar um golo, desta feita ao Marselha, e ficou apenas a um de Magnusson (27º) e Jorge Tavares (28º) no ranking dos goleadores benfiquistas em todos os jogos. É o 33º com mais jogos (361);

204

Rafa passou a ser o 90º com mais jogos, incluindo particulares, pela equipa de honra do Benfica. Superou Jonas e está a 1 de César Brito;

1887

Investidores no empréstimo obrigacionista emitido pelo Benfica, SAD, cuja conclusão ficou marcada pelo sucesso, com o montante pedido a ser plenamente satisfeito. Mesmo no actual contexto, quer económico (do país), quer institucional (do clube), a Benfica, SAD voltou a merecer a confiança plena do mercado, algo que Porto e Sporting não conseguiram em tempos recentes. Vale mesmo a pena cumprir sempre as obrigações assumidas!

Jornal O Benfica - 30/7/2021

Spartak

Não gostei do sorteio que coloca o Spartak Moscovo no nosso caminho para a fase de grupos da Liga dos Campeões.

Desde logo por se tratar de um bom adversário, segundo classificado no seu país na época transacta e agora liderado por Rui Vitória, bicampeão pelo Benfica em anos recentes, logo profundamente conhecedor do clube. Acresce o conjunto de bons resultados conseguido ao longo da presente pré-temporada, incluindo goleadas ao Khimki e Rubin Kazan.

Também por ser um clube de um país distante, a mais longínqua das possibilidades no sorteio, obrigando a viagens longas, seguidas da deslocação ao Moreirense na jornada inaugural do Campeonato, e à adaptação a um fuso horário diferente (duas horas). Em escassos 7 dias jogaremos em Moscovo, em Moreira de Cónegos e na Luz, novamente com os russos.

E, sobretudo, porque o adversário que se oporá à nossa equipa terá já dois jogos “oficiais” nas pernas, o que poderá dificultar a nossa tarefa, sendo que não seria esse o caso com os restantes potenciais adversários.

Dito isto, e até por uma questão do etos benfiquista, em que a nós, benfiquistas, só o Benfica nos interessa e o resto é penumbra ou paisagem, creio termos todas as condições para superarmos os obstáculos que esta eliminatória nos coloca.

É certo e sabido que não será fácil, o que não surpreende por aí além, afinal é o acesso à Liga dos Campeões que estará em jogo, mas acredito que estaremos preparados. A estrutura focar-se-á em minimizar as dificuldades inerentes ao confronto com este adversário nesta fase da época e fá-lo-á bem, enquanto a equipa técnica e os jogadores são detentores da competência e da experiência necessárias e suficientes para lograrmos o sucesso ante este opositor. Venham eles!

Jornal O Benfica - 23/7/2021

Números da semana (33)

3

Continuamos a dar cartas na canoagem, com três dos nossos atletas (Messias Baptista – K1 200m; Fernando Pimenta – K1 1000m; João Ribeiro – K1 1500m) a sagrarem-se campeões nacionais;

4

Ao fim de 2 jogos particulares*, são 4 os estreantes absolutos pela equipa de honra: Gil Dias, João Mário, Rodrigo Pinho e Paulo Bernardo. Destaque para este último que, tendo alinhado numa posição que não a sua e na qual não me recordo de o ver jogar, foi inexcedível no empenho e demonstrou a sua enorme qualidade;

25

É a maior “delegação” benfiquista de sempre nuns Jogos Olímpicos, com 25 atletas em representação das suas seleções, cerca do dobro do anterior recorde, estabelecido em 1992, em Barcelona;

29

Com o golo marcado ao Almería, Pizzi tornou-se no 29º mais goleador de sempre de águia ao peito. Soma 97 golos em 359 jogos (incluindo particulares) e está a dois de Magnusson e Jorge Tavares;

3907

Distância, em quilómetros, entre Lisboa e Moscovo. Preferiria um adversário mais próximo geograficamente, mas assim ditou o sorteio. Acredito que eliminaremos o Spartak e, pelo meio, traremos os três pontos de Moreira de Cónegos na primeira jornada do Campeonato. Houve apenas três desafios entre Benfica e os moscovitas: o jogo de apresentação na temporada 1989/90 (2-3) e os dois relativos à fase de grupos da Liga dos Campeões 2012/13 (derrota por 2-1 em Moscovo e vitória, na Luz, por 2-0). Em 20 jogos com clubes russos a contar para competições europeias, reina o equilíbrio: 8 vitórias, 4 empates e 8 derrotas. Analisando somente as eliminatórias, a balança pende a nosso favor: Em 6 passámos 5, 3 na Liga dos Campeões (uma no antigo formato, com o Torpedo, e duas mais recentes com o Zenit).

*Não inclui o Benfica – Lille.

Jornal O Benfica - 23/7/2021

Números da semana (178)

1 Terminadas as principais 7 ligas europeias e a Liga dos Campeões, Trubin foi o melhor guarda-redes sub-23 nos seguintes dados estatístic...