domingo, 27 de março de 2022

Coincidências da bola

Aqueles segundos em que há uma pretensa indefinição de uma possível expulsão de um jogador do FC Porto são o tempo mais inútil de jogo no futebol português. Parto sempre do princípio de que nada acontecerá e invariavelmente acerto, não por capacidades premonitórias dignas de realce, mas por experiência acumulada.

É impressionante a facilidade com que são expulsos adversários do FC Porto.

No jogo da semana passada dos portistas, no qual, surpresa das surpresas, o Tondela viu-se reduzido a dez unidades, perguntei-me, como se não adivinhasse facilmente a resposta, qual seria o clube que mais vezes já beneficiara, no campeonato do seu país durante a presente época, de mais expulsões de adversários. Mesmo estando plenamente convicto da resposta, quis confirmar.

Então fiz o levantamento para os três primeiros classificados de cada um dos 19 países melhor posicionados no ranking europeu de clubes e… nem vale a pena tentar criar suspense, é o FC Porto, quem mais?

Diria um alienado ou um incauto que tal se poderia dever ao acaso, afinal teria de haver sempre um clube qualquer a liderar esta contagem. Mas atente-se ao seguinte:

- Os 57 clubes analisados tinham disputado, em média, 25,9 jornadas (Porto, 26);

- Cada clube, em média, beneficiara de 3,3 expulsões de adversários nos jogos disputados;

- A mediana situava-se nas 3 expulsões. Ou seja, metade dos clubes viram até três expulsões de adversários (foram 62,3%);

- O Benfica era um dos 11 clubes que viu 4 adversários a receberem o cartão vermelho;

- No top 10, havia dois com 5 (Konyaspor e Marselha), 6 (Anderlecht e Sporting) e 8 (Dínamo Moscovo e Slavia Praga), três com 7 (Basileia, Milan e Nápoles);

- E, finalmente, o destacado líder, o FC Porto, que, de acaso em acaso, chegou aos 11. ONZE !!! (e só considerando as que ocorreram durante os jogos – confusões após partidas é outra história). Mesmo com o Sporting no top 10, com 6, e o Benfica acima da média, com 4, juntos não chegam ao FC Porto.

É obra! E tem obreiros muito bem identificados.

P.S.:

Ainda estou a recuperar o fôlego por ter visto ao vivo, durante onze segundos, o Rafa a correr com a bola e a marcar um golo estupendo. Neste estádio da Luz, o meu favorito continua a ser o do Lima ao Sporting em 2013, mais pela jogada do Gaitán, mas este entra diretamente para uma das posições cimeiras.

Jornal O Benfica - 25/3/2022

Números da semana (67)

7

Gonçalo Ramos voltou a marcar e aumentou a contagem de golos na presente edição da Liga para 7, sendo que 6 deles foram marcados nas últimas 9 jornadas;

8

O Benfica é campeão nacional de Corta-Mato Curto pela 8ª vez;

9

São 9 os jogadores formados no Benfica na mais recente convocatória dos sub21, um reflexo do bom trabalho desenvolvido ao longo dos anos no Benfica Campus. 4 deles representam o Benfica (Gonçalo Ramos, Henrique Araújo, Paulo Bernardo e Samuel Soares) e dois têm vínculo ao Clube (Tiago Dantas e Tomás Tavares);

19

O Benfica conquistou a Taça de Portugal de voleibol pela 19ª vez. Tem sido extraordinário o percurso benfiquista recente nesta modalidade, com 6 Campeonatos ganhos nas últimas 8 edições, 7 triunfos nas últimas 11 Taças de Portugal disputadas e 10 Supertaças em 11 épocas;

22

A equipa feminina de basquetebol, campeã nacional em título, terminou a fase regular invicta com 22 vitórias nas 22 jornadas;

83

Rafa percorreu, segundo o jornal A Bola, 83 metros com a bola dominada até concretizar o golo frente ao Estoril. Uma autêntica obra de arte! Com este golo, Rafa soma 12 na temporada, os quais, somados às 16 assistências para golo, perfazem 28 ações diretas nos momentos finais de golos. Chegou aos 58 golos em competições oficiais ao serviço do Benfica, sendo agora o 39º melhor marcador de sempre do clube em “jogos oficiais”. No Campeonato foi o autor de 42 golos pelo Benfica e é o 35º no ranking dos goleadores benfiquistas na prova. Tem 41 assistências para golo e é o 4º com mais passes e centros para um colega finalizar com sucesso nas últimas 11 épocas;

+100

Mais de 100 Casas do Benfica fizeram-se representar no desfile das Casas durante o intervalo do jogo com o Estoril.

Jornal O Benfica - 25/3/2022

segunda-feira, 21 de março de 2022

À Vmocada II

O Sporting adquiriu as VMOC ao BCP, não pelo valor unitário inflacionado (1€), nem sequer pelo valor com 70% de desconto renegociado em 2019, mas por 16,8 cêntimos, ou seja, com um colossal desconto de 83,2%.

Tudo legal, mas é aviltante ouvir dirigentes do Sporting congratularem-se pela operação. E é sobretudo insultuoso para quem cumpre escrupulosamente as suas obrigações.

Colocaram os bancos entre a espada e a parede, livrando-se de uma dívida monstruosa enquanto continuaram a gastar acima das possibilidades (a Sporting, SAD voltou à situação de falência técnica em 2018). E ainda têm o desplante de se regozijarem publicamente.

Não pagaram, não sabiam como poderiam pagar, foram salvos por bancos, à data das operações, intervencionados pelo Estado, e nem sequer se cumpriu o inicialmente planeado. Em 2016, ano em que as VMOC de 2011 deveriam ter sido compradas, o prazo foi prorrogado para 2026, o mesmo das VMOC de 2014. E, em 2019, acordaram um desconto de 70%, mas o BCP nem sequer quis arriscar esperar e acedeu a baixar ainda mais a fasquia.

Agora o BCP justifica-se publicamente com o risco de o banco ter de ficar com cerca de 40% de capital da Sporting, SAD. E seria de facto um enorme risco, reconheça-se, tal é o histórico de prejuízos atrás de prejuízos da Sporting, SAD.

Mas mais do que os 127 milhões de euros de dívida da Sporting, SAD ao BCP e Novo Banco reduzidos a uma parcela reduzidíssima, o que realmente incomoda é a ideia, porventura próxima da verdade, da premeditação.

Ninguém me convence de que os dirigentes do Sporting, de 2011, 2014, 2016, 2019 ou os actuais, alguma vez tenham receado que estes bancos sequer pensassem em assumir uma participação significativa no capital da SAD ou que vendessem as participações a terceiros à revelia do Sporting. E suponho que nunca tenha sido essa, em qualquer circunstância, a intenção destes dois bancos. A pressão da massa adepta sportinguista seria insuportável. E é por isso que, embora formalmente não se trate de um perdão de dívida, na prática este aconteceu mesmo, foi enorme e, se calhar, planeado.

E em vários momentos: a benesse começou ao valorizar-se a dívida muito acima da cotação das acções (quase o dobro), prosseguiu com reavaliações dos montantes em dívida e a diminuição acentuada do serviço de dívida (juros) e termina com o retorno do capital a preço, não de “saldo”, mas de “liquidação total”, enquanto, é bom não esquecer, os gastos continuaram acima das possibilidades. É indecoroso!

Jornal O Benfica - 18/03/2022

Números da semana (66)

1

Henrique Araújo, actual segundo melhor marcador da II Liga ao serviço da equipa B, estreou-se a marcar pela equipa de honra do Benfica;

Os juvenis terminaram a fase da zona sul na 1ª posição;

2

A nossa equipa feminina de voleibol terminou a fase regular do Campeonato na 2ª posição, uma melhoria em relação à época passada. Tem a vantagem casa na meia-final e, seguindo em frente, terá a oportunidade de lutar pelo regresso ao título (o último foi em 1975);

8

O Benfica está nos derradeiros 8 participantes na Liga dos Campeões. É um regresso a esta fase da prova, a última presença havia sido em 2016. Perante uma grande equipa, a nossa equipa fez o jogo que precisava, procurou ser feliz e conseguiu;

9

O lance de mão na área vizelense frente ao Benfica na Luz foi tão evidente que não há justificação possível para que a equipa de arbitragem, nomeadamente o VAR, não tenha assinalado a devida grande penalidade. E só em erros de arbitragem clamorosos, facilmente evitáveis pelo VAR, perdemos pelo menos 9 pontos neste Campeonato. E esta constatação torna-se ainda mais frustrante ao se repetirem, jornada após jornada, as intervenções aos mínimos detalhes em favor de Sporting e, principalmente, Porto;

40

Darwin chegou aos 40 golos de águia ao peito em competições oficiais e logo num grande palco. Tem 4 golos em 8 jogos na Liga dos Campeões;

50

Gonçalo Ramos chegou à meia centena de “jogos oficiais” pela primeira equipa do Benfica (22 a titular). Leva 12 golos;

Vertonghen cumpriu o 50º jogo de águia ao peito no Campeonato Nacional;

3002

João “Betinho” Gomes tornou-se no 24º basquetebolista a superar a barreira dos 3000 pontos pela equipa de honra do Benfica. Foi apenas o 5º a fazê-lo neste século, o 2º se se considerar somente os pontos marcados desde o ano 2000.

Jornal O Benfica - 18/03/2022

terça-feira, 15 de março de 2022

Valorizar o produto

Crónica publicada no Dinheiro Vivo. Também publicada, em papel, no suplemento que acompanha as edições do Diário de Notícias e Jornal de Notícias.

Dinheiro Vivo - 12/3/2022

À Vmocada

Caro leitor, sempre que ouvir um dirigente do Sporting a evocar os méritos da gestão, sente-se, inspira fundo e finja que está numa dimensão paralela onde as palavras perderam o sentido.

Lembro-me do antigo presidente do Sporting, José Roquette, apresentar um modelo empresarial para o Sporting que, passo a parafrasear, tornaria o clube imune às bolas que entram ou não na baliza. Quem lesse a comunicação social desportiva de então ficaria a saber que as SAD obrigariam a metodologias de gestão infalíveis e o dinheiro jorraria à catadupa.

E as SAD, além de servirem para propiciar uma injecção de capital no momento do lançamento, aceleraram de facto a implementação de uma lógica empresarial nos clubes de futebol.

Como se não tivessem existido, no entanto, já suficientes falências no tecido empresarial. E a Sporting, SAD é só mais uma, apesar de nunca ter falido de facto pois beneficia, ao contrário da esmagadora maioria das empresas, de uma grande legião de adeptos, por sua vez clientes de bancos (e administradores!).

Assim, sucessivas más gestões, intercaladas aqui e li por algum bom senso, resultaram numa acumulação de dívida insustentável, só sanada por reestruturações de dívida e capital sob diversas formas e nomenclaturas. “Cortar as perdas” parece ter sido sempre a motivação da banca.

E esta semana foi consumado um gigantesco “perdão” de dívida. Tecnicamente não se trata de um perdão, daí as aspas, mas, na prática, e, para leigos, por artes que mais parecem mágicas, havia dívida que deixou de existir.

A Sporting SAD devia cada vez mais, o BES (depois Novo banco) e o BCP transformaram grande parte dessa dívida em capital sobrevalorizando imensamente as operações em relação à cotação das acções (para quase o dobro) e acederam posteriormente a que a Sporting SAD pudesse readquirir o capital com 70% de desconto, agora feito com o BCP de forma antecipada, porventura com um desconto ainda maior. E com tanto desconto é surpreendente como não terá havido investidores privados interessados na Sporting, SAD.

E o que aconteceu entretanto? A Sporting, SAD prosseguiu na senda dos prejuízos acumulados, ao ponto de ter voltado a uma situação de falência técnica logo em 2017/18, que perdura, não obstante os mais de 127 milhões de euros das VMOC constantes no capital próprio. E nestes anos, talvez noutra galáxia, a SAD do Benfica deixou de ter endividamento bancário (à excepção de uma conta caucionada para gestão da tesouraria)…

Jornal O Benfica - 11/3/2022

Números da semana (65)

2

A nossa equipa feminina de basquetebol conquistou a Taça de Portugal. É a 2ª consecutiva e a 2ª do nosso palmarés. Está dado o primeiro passo para a repetição da dobradinha da época passada;

4

À 4ª jornada, aumentou para 4 a vantagem pontual na liderança no Campeonato da nossa equipa de juniores (Franculino Djú é o melhor marcador da fase de apuramento do campeão com 5 golos), depois de, a meio da semana, termos carimbado, pela 6ª vez em 8 edições, a passagem aos quartos-de-final da UEFA Youth League. Não surpreende que 8 atletas sub 19 do Benfica tenham sido chamados à seleção (e 6 sub18 na última convocatória);

5

Gonçalo Ramos tem estado de pontaria afinada: marcou pela 5ª vez nas últimas 7 jornadas do Campeonato Nacional;

E Grimaldo já soma 5 golos no Campeonato na presente temporada, o seu máximo desde que chegou ao Benfica. Em todas as competições oficiais, leva 6 marcados, a um do registo alcançado em 2018/19. Totaliza 19 golos em ”jogos oficiais” de águia ao peito, em Portimão rematou para golo pela 10ª vez (incluindo 5 livres diretos);

6

O Benfica venceu, pela 6ª vez, o Campeonato Nacional de esperanças (femininos) de atletismo em pista coberta;

50

Darwin esteve em campo 10 minutos em Portimão, o suficiente para atingir a meia centena de jogos no Campeonato (37 na condição de titular). Marcou 26 golos na prova e fez 12 assistências. O jovem uruguaio é o 55º melhor marcador de sempre do Benfica nesta competição;

3556

Vlachodimos foi o primeiro do plantel a ultrapassar a barreira dos 3500 minutos de utilização na presente temporada (inclui tempos adicionais). Acima dos 3000 minutos, seguem-se, por ordem decrescente de tempo de utilização, Grimaldo, Vertonghen, Weigl, Otamendi e Rafa.

Jornal O Benfica - 11/3/2022

terça-feira, 8 de março de 2022

Contas

O prejuízo apresentado pela Benfica, SAD relativo ao 1º semestre deste exercício é significativo, mas em certa medida expectável e gerível, obrigando, a médio prazo, a uma racionalização ou reorientação das políticas de investimento e cedência de activos para que se evitem constrangimentos.

É expectável porque assistimos a dois anos consecutivos de forte investimento na equipa de futebol, com impacto sobretudo na massa salarial (mas não nas amortizações de passes). Acresce que, em 2021/22, as receitas de alienações de passes não foram suficientes para compensar o nível de despesa. Comparando ao primeiro semestre da época passada, houve uma diminuição de quase 68 milhões de euros (!) nos ganhos com cedências de direitos de atletas.

Ademais, embora se verifique uma aproximação dos valores conseguidos pré-pandemia, as receitas comerciais estão ainda aquém do potencial que o Benfica já demonstrou ter. Com o volume de vendas de 2019, o prejuízo teria sido um pouco menor, na ordem dos 3 a 5 milhões de euros.

E é gerível devido à situação patrimonial muito vantajosa, com o activo a suplantar largamente o passivo. Apesar do prejuízo verificado, os capitais próprios continuam a ser muito positivos, próximos do montante do capital social. Tendo em conta que o objecto da SAD não é a rentabilidade financeira, nem alguma vez foi implementada uma política de distribuição de dividendos, é normal assistir-se a flutuações do resultado líquido em qualquer sentido, desde que a sustentabilidade económica e financeira esteja salvaguardada. Numa entidade como a Benfica, SAD, os lucros acumulados servem precisamente para, quando se considera necessário, se poder optar por uma política de investimento mais agressiva.

Mas tal não perdura indefinidamente no tempo e sobre o futuro só há uma certeza, é incerto, importando, neste contexto, preservar uma almofada que garanta a sustentabilidade num eventual cenário penalizador.

Deste modo, a médio prazo a Benfica, SAD terá de diminuir o investimento (em compras de passes de atletas e/ou no nível salarial) e/ou terá de facturar mais em vendas de jogadores. Saliento o médio prazo: perante as contas apresentadas, não há qualquer urgência, salvo por eventuais questões de tesouraria, de proceder a uma inversão de políticas.

Jornal O Benfica - 4/3/2022

Números da semana (64)

2

O Benfica reduziu em 2 pontos a diferença pontual para os lugares cimeiros. Mesmo não se alterando mais nada, bastaria boas arbitragens com Estoril, Moreirense e Gil Vicente para estarmos na corrida pelo título. As consequências de más exibições não são iguais para todos;

5

Foram 5 os jogadores da nossa formação utilizados frente ao Vitória de Guimarães (Diogo Gonçalves, Gonçalo Ramos, Morato, Paulo Bernardo e Tomás Araújo – e Rafael Brito esteve no banco). Curiosamente, o Vitória alinhou de início com 3 “made in Benfica” (mais 1 suplente não utilizado);

6

Mais um passo importante rumo à revalidação do título no futebol feminino e são já 6 pontos de avanço na liderança à 6ª jornada;

39

Darwin bisou pela 7ª vez (mais dois hat-tricks) nesta época, chegou aos 39 golos em “jogos oficiais” pelo Benfica e entrou no top60 dos goleadores benfiquistas (58º), a par de Vata e Saviola, mas estes com mais jogos. No Campeonato totaliza 26 e é o 55º mais goleador na história do Benfica;

62

Ao 62º minuto de jogo frente ao Vitória de Guimarães, viveu-se um dos momentos mais marcantes deste estádio da Luz. Yaremchuk entrou para o lugar de Darwin e Vertonghen cedeu-lhe a braçadeira de capitão. A ovação em pé e o tonitruante aplauso dedicado ao jogador ucraniano, naquele momento feito representante do seu povo, causou arrepios e proporcionou um vídeo que correu mundo pelas redes sociais e comunicação social. Por uma causa justa, pela paz!

66,67%

Fim-de-semana de dérbis com o Sporting nas camadas jovens e triunfos nos sub19 e sub17 e empate nos sub15, este em inferioridade numérica em quase toda a segunda parte e a desperdiçar-se uma grande penalidade no tempo adicional;

118

Anos de vida. Parabéns, glorioso Benfica!

Jornal O Benfica - 4/3/2022

terça-feira, 1 de março de 2022

VAR sob escuta

O futebol tem uns assomos de modernidade esporádicos, na maior parte das vezes desmerecedores de entusiasmo pela habitual inacção resultante do ultraconservadorismo latente no “Desporto-Rei”. Mas é justo reconhecer que, nos últimos anos, têm sido dados alguns passos contrários a esta característica tão vincada, abrindo-se novas perspectivas quanto a uma modalidade menos relutante ao progresso para além do comercial, motivado pela necessidade de maior facturação.

Serve esta introdução para me confessar entusiasmado pela possibilidade de ouvir, durante os jogos, a comunicação entres os elementos das equipas de arbitragem, de resto já há muito implementada no futebol americano e há uns anos no basquetebol (NBA) e nas principais competições internacionais do râguebi.

Para já não passa de uma notícia sobre uma alegada petição oficial ao IFAB por parte da Federação Francesa de Futebol, mas já é um começo. E dou por mim a fantasiar um qualquer jogo normal da nossa liga…

VAR auxiliar – Não me digas que vai apitar.

VAR – Espero que não ou seremos obrigados a dizer qualquer coisa.

VAR auxiliar – Bolas, apitou mesmo. Dizemos alguma coisa?

VAR – Não sei. Vê-se claramente que não é falta, mas estamos no Dragão, o conceito de penálti é muito lato, uma questão de interpretação, sabes, muito a considerar, há a intensidade, a intencionalidade, a ilusão de óptica, a subjectividade e mais o que te lembres que nos ajude a alijar responsabilidades…

VAR auxiliar – Já em Alvalade é a mesma coisa. Ao menos se fosse na Luz teríamos respaldo automático, chateiam-se mais com a equipa não jogar nada e têm pudor em falar de arbitragens. Assobiam um bocado, mas isso é o pão nosso de cada dia.

VAR – Pois, é mesmo isso. Os chatos dos adversários é que não se calam, já vai em três amarelos por protestos, temos mesmo de dizer alguma coisa… (Para o árbitro): Atenção, vê-se claramente que não é penálti, mas como é no Dragão a favor do Porto, há uma interpretação abusiva que talvez nos safe. É melhor reveres.

Árbitro – Escuto. Não é penálti? O que é este ruído? Não oiço. Interferências. Está assinalado.

VAR – Fez bem, eh eh eh. Na pior das hipóteses seremos castigados e lá teremos nós um fim-de-semana disponível para irmos à Arábia Saudita ganhar uns trocos valentes.

VAR auxiliar – Grande Fontelas, pá!

Jornal O Benfica - 25/2/2022

Números da semana (63)

0

Que não é zero, mas nulo na diferença entre Benfica e Ajax para a segunda mão. A 2ª parte foi excelente e tivemos oportunidades claras para conseguirmos a reviravolta no marcador. A eliminatória está em aberto e só precisamos que este nulo termine em pelo menos 1 a nosso favor. Acredito que vamos passar!

6

Segundo o GoalPoint, Rafa criou 6 ocasiões, uma delas flagrante, frente ao Ajax. Que grande exibição, especialmente no segundo tempo, obrigando Ten Hag, o treinador adversário, a substituir Blind por Tagliafico no lado esquerdo da defesa para tentar parar Rafa e evitar assim a eventual derrota;

11

O Benfica é campeão nacional de atletismo em pista coberta pela 11ª vez, a 9ª nas últimas 11 temporadas;

12

Henrique Araújo marcou pelo 2º jogo consecutivo pela B e passou a ocupar a posição cimeira dos goleadores da II Liga, com 12 golos. Mas nestes 3-0 ao Farense, é o 3º golo, uma obra de arte de Fabinho, que dificilmente será esquecido;

20

Vlachodimos ascendeu à 20ª posição dos jogadores com mais jogos pelo Benfica (81, incluindo particulares) neste estádio da Luz, a par de Fejsa e Rúben Amorim;

41

Rafa assistiu Taarabt para golo no Bessa e tornou-se no 4º, pelo Benfica, com mais assistências nas últimas dez temporadas. Leva 16 nesta época;

47

Grimaldo igualou José Luís em número de “jogos oficiais” (238) pela primeira equipa do Benfica e é agora o 47º neste ranking;

55

Rafa chegou aos 219 “jogos oficiais” pelo Benfica, juntando-se a Guilherme Espírito Santo na 55ª posição dos futebolistas com mais jogos pela equipa de honra benfiquista em competições oficiais;

100

Weigl cumpriu o 100º “jogo oficial” de águia ao peito no Bessa.

Jornal O Benfica - 25/2/2022

Números da semana (178)

1 Terminadas as principais 7 ligas europeias e a Liga dos Campeões, Trubin foi o melhor guarda-redes sub-23 nos seguintes dados estatístic...