sábado, 28 de outubro de 2023

Muito para ganhar

O percurso na Liga dos Campeões da presente temporada é, até ao momento, desapontante, para mais na sequência de duas presenças consecutivas nos quartos de final e de uma época excecional ao nível, também, das exibições.

Claro que, agora, compete à equipa do Benfica tentar fazer o melhor possível, procurando, apesar da dependência de terceiros, o apuramento para as rondas a eliminar, até porque essa é, não o alcançando, a melhor forma de lograr a continuidade nas provas europeias, mesmo que seja na Liga Europa.

O que está feito, feito está. É imperativo que se melhore o que tiver de ser melhorado e sobretudo se tenha a capacidade para destrinçar as várias competições, impedindo que o desempenho europeu, para já, abaixo das expectativas, influencie o estado de espírito do plantel ao ponto de afectar a luta pelos restantes objetivos.

É necessária liderança e maturidade para que não se repitam 2017/18 e 2019/20, cujos plantéis do Benfica, nessas épocas, me pareceram permeáveis às críticas pelo desempenho europeu, soçobrando no Campeonato Nacional.

Neste momento é importante reter o seguinte: o Benfica, em 2023/24, já conquistou a Supertaça; leva, depois da derrota no jogo inaugural, sete triunfos consecutivos na Liga, incluindo o clássico com o FCPorto; e está em prova na Taça de Portugal e Taça da Liga, tendo tudo ainda para continuar nas competições europeias.

Olhemos para o passado e recordemos que houve várias grandes equipas do Benfica cujo desempenho na Europa foi aquém do expectável, porém mantendo-se firmes na busca de mais um título nacional, conseguindo-o diversas vezes. Continuar a apoiar a equipa é determinante, pois são os jogadores quem nos representa em campo. E temos muito para ganhar em 2023/24.

Jornal O Benfica - 27/10/2023

Números da semana (146)

1

O Benfica participa, pela 1ª vez, numa competição europeia de polo aquático no feminino e conseguiu o apuramento para a fase final da Challenger Cup;

2

Na visita ao Lusitânia, 2 jogadores (Arthur Cabral e Tiago Gouveia) estrearam-se na autoria de golos pela equipa A do Benfica;

20

O estádio da Luz foi inaugurado há 20 anos. Nos 583 jogos disputados na Luz, estiveram presentes 22080492 espectadores, dos quais 20732638 em partidas da equipa de honra do Benfica. O Benfica ganhou 373 dos 503 jogos oficiais realizados na Catedral (74,16% de aproveitamento – no anterior estádio da Luz, ganhou em 79,96% das 988 partidas);

37

Rafa passou a ser o 37º com mais jogos oficiais de águia ao peito. Soma 287 e está a somente 6 de alcançar o 33º, Cardozo. Contando com particulares, é o 46º (319 jogos). E passou a ser o 6º com mais jogos oficiais neste estádio da Luz (143);

40

Com o golo marcado ao Lusitânia, Rafa ocupa agora a 40ª posição no ranking dos goleadores do Benfica com 80 golos (incluindo jogos particulares). Leva 76 em jogos oficiais e é o 31º mais goleador de sempre do Benfica em competições oficiais;

59:40

Samuel Barata estabeleceu o novo recorde nacional da meia-maratona e tornou-se no primeiro português a percorrer a distância em menos de uma hora;

60

Rafa juntou-se a Bento, José Augusto, Coluna e Salvio no, agora, quinteto de jogadores com 60 jogos pelo Benfica nas competições europeias. Só 14 jogadores representaram mais vezes o Benfica na Europa.

Jornal O Benfica - 27/10/2023

Curta sobre as contas das SAD

Crónica publicada no Dinheiro Vivo. Também publicada, em papel, no suplemento que acompanha as edições do Diário de Notícias e Jornal de Notícias.

Números da semana (145)

1

A nova instalação sonora do estádio da Luz foi distinguida nos prémios MONDO-DR como melhor projeto mundial de instalação em estádios de 2023;

3

O Benfica está pela 3ª vez, de forma consecutiva, na fase de grupos da Liga dos Campeões de futebol no feminino. Nenhum outro clube português, neste ou em formatos anteriores, integrou os últimos 16 da competição europeia;

10

A equipa feminina de hóquei em patins do Benfica conquistou a 10ª Supertaça do palmarés encarnado (10ª seguida entre 30 títulos e troféus nacionais consecutivos, todos desde 2013/14, época em que se sagrou bicampeão nacional, mas não venceu a Taça de Portugal: 9 Campeonatos Nacionais; 9 Taças de Portugal, 10 Supertaças, 2 Elite Cups);

O Benfica já conquistou 10 Supertaças em 2023/24. Nos masculinos, em futebol, basquetebol, futsal, hóquei em patins e voleibol. Nos femininos, em futebol, andebol, futsal, hóquei em patins e polo aquático;

13

Ascende a 13 os troféus ganhos pelo Benfica em 2023/24, todos os disputados. Além dos referidos no “10”, venceu ainda a Elite Cup de hóquei em patins em masculinos e femininos e a Taça Vítor Hugo de basquetebol no feminino;

20

Os sócios do Benfica têm a oportunidade de votar em 11 jogadores para a escolha de 20 entre os que representaram o Benfica neste estádio da Luz. Os eleitos figurarão no mural dos campeões, um foto-mosaico especial composto por milhares de fotografias dos adeptos. Excelente iniciativa!

350

Mais de 350 crianças que praticam futebol em16 escolas do Benfica nos distritos de Lisboa e Setúbal conviveram no Benfica Campus no passado domingo;

1000

O Benfica chegou aos 1000 golos no futebol feminino (2º golo ao Appolon, no Chipre, da autoria de Marie Alidou).

Jornal O Benfica - 20/10/2023

segunda-feira, 16 de outubro de 2023

Números da semana (144)

2

O Benfica venceu, pela 2ª vez, a Elite Cup de hóquei em patins no feminino;

4

Com a ausência de Bah e Kökcü no Estoril, já só restam 4 totalistas nos 11 jogos oficiais: Aursnes, João Neves, Otamendi e Rafa. O norueguês é o único totalista absoluto, com 1126 minutos de utilização. Otamendi (1111), Rafa (1051), Bah (867) e António Silva (834) compõe o quinteto mais utilizado por Roger Schmidt de um total de 27 jogadores, sendo que a mais recente estreia foi protagonizada por Gonçalo Guedes (inclui tempos adicionais);

Vasco Vilaça venceu a Taça do Mundo de Roma 2023 e é o 4º no ranking mundial do triatlo;

5

A equipa feminina de polo aquático do Benfica conquistou a Supertaça pela 5ª vez;

7

A equipa comandada por Roger Schmidt alcançou a 7ª vitória consecutiva no Campeonato Nacional na presente temporada, ficando a uma do 2º melhor registo da época transata (o melhor foi 10);

11

O Benfica somou a 11ª Supertaça de voleibol ao seu palmarés;

12

Subiu para 12 os troféus nacionais ganhos pelo Benfica em 2023/24, entre os quais 9 Supertaças, com a particularidade de ter disputado 12, ou seja, perfez o pleno de vitórias;

13

São 13 os elementos da equipa A do Benfica convocados por seleções (incluindo duas dispensas por lesão);

João “Betinho” Gomes tornou-se no 13º mais pontuador na história do basquetebol benfiquista. É expectável que, no final da presente temporada, ocupe o 12º lugar do ranking, a uma pequena distância do 11º (de acordo com a estatística apurada – trabalho em curso);

46

Rafa passou a ser, a par de Vítor Martins, o 46º com mais jogos (317) pela equipa de honra do Benfica (incluindo particulares). É o 38º em jogos oficiais (285) e o 19º nas competições europeias (59).

Jornal O Benfica - 13/10/2023

segunda-feira, 9 de outubro de 2023

Semana agridoce

A vitória ao FC Porto foi mais do que justa. O Benfica, porque tem mais equipa e joga melhor, ganhou conforme esperado, pecando somente pelo resultado escasso. Foi bastante superior, mereceu o triunfo. A derrota com o Inter espelha a superioridade dos italianos na segunda parte e Trubin foi o melhor em campo.

No clássico, Roger Schmidt surpreendeu com a presença de Di María e Neres no onze inicial. Mais do que o argentino ter marcado assistido pelo brasileiro, saliento a dificuldade que a equipa do FC Porto teve para suster as investidas benfiquistas sempre que a bola circulou com velocidade de um lado ao outro do campo. Nessas situações, o talento individual, mais liberto do espartilho portista, fez a diferença. Não fosse a ineficácia, teria sido goleada.

Ouvi e li até à exaustão que o vermelho mostrado a Fábio Cardoso condicionou o FC Porto e enviesa a análise. É evidente que condicionou e teve influência, mas discordo da tese do enviesamento da análise.

Recuemos à Supertaça, disputada em agosto: o FC Porto começou melhor, pressionante, teve mais remates. O Benfica equilibrou o jogo por volta dos 20/25 minutos, Roger Schmidt fez alterações ao intervalo e a partida mudou, com o Benfica a ser muito superior e a ganhar por 2-0. Desta feita, não foi diferente: o FC Porto teve o ímpeto inicial, embora bem menor do que no jogo anterior. Fábio Cardoso foi expulso e a toada passou a ser de equilíbrio. Ao intervalo, Roger Schmidt fez mudanças, não de jogadores, mas, pareceu-me, da forma como Neves e Kokcu estavam a atacar, assumindo o risco de passes verticais e a fazerem circular a bola mais rapidamente, e só deu Benfica. Tendo em conta a Supertaça, alguém poderá afirmar que, com Fábio Cardoso em campo, o rumo do jogo não seria mais ou menos o mesmo?

E nada disto pode escamotear o facto de a expulsão ter sido mais do que justa. Um lance que nasce numa transição rápida e tem em Neres, que jogou no onze com Di María para surpresa de toda a gente, o protagonista mor (eu próprio, que coloquei essa hipótese na BTV após o jogo com o Portimonense, não acreditei, no dia do clássico, que pudesse acontecer).

Aliás, para Artur Soares Dias, o VAR do jogo, até houve uma expulsão perdoada. João Pinheiro talvez tenha razão em ter optado pelo amarelo, mas mais importante é perceber como essa jogada aconteceu, em tudo similar à da expulsão, mas protagonizada por Rafa. Ou seja, o Benfica teve uma estratégia muito bem definida naquela primeira parte, sabendo que os jogos – tanto este como o da Supertaça e todos – têm duas metades.

E o mesmo se aplica a Milão. O inter alterou ao intervalo subindo as linhas e o Benfica não foi capaz de suster as investidas adversárias. A primeira parte foi positiva, a melhor oportunidade é mesmo do Benfica e ficou um penálti por assinalar sobre Neres (já me cansa ser prejudicado pela arbitragem frente ao Inter). No segundo tempo, os italianos foram claramente superiores.

Muito bem esteve Trubin, que já estava a ser queimado por tanta gente ao fim de dois ou três jogos. Houve até um jornal que teve o desplante de entrevistar um antigo guarda-redes, agora treinador de um clube da segunda divisão ucraniana, que nada mais fez do que regurgitar um arrazoado de críticas ao jovem guarda-redes seu compatriota. Pareceu escolhido a dedo. E é com o dedo apontado que eu pergunto: quando sai a próxima entrevista a esse perito?

Termino dizendo que já tive tempo, desde terça-feira, para confirmar dois dados que até cheguei a duvidar em função do que tem sido dito desde o jogo: sim, o Inter foi mesmo à final da Liga dos Campeões na temporada passada e lidera a Serie A.

Jornal O Benfica - 6/10/2023

Números da semana (143)

2

O Benfica está pelo 2º ano consecutivo na fase de grupos da Basketball Champions League. No atual modelo de competições europeias do basquetebol, é o único clube português a ter disputado esta fase;

No hóquei patins no feminino, o Benfica ganhou o troféu regional “Taça Professor João Campelo” pela 2ª vez em 2 edições;

3

Kika Nazareth fez um hat-trick ao Marítimo. Já havia marcado 3 ou mais golos pela equipa A em 4 jogos, mas nunca com “apenas” 5 golos obtidos pelo Benfica. 4 ao Moreirense (0-17); 5 ao Atlético (0-13); 3 ao Condeixa (7-0); e 3 ao A-dos-Francos (0-14). Na presente temporada leva 7 golos em 5 jogos;

10

Neres soma 10 assistências para golo em competições oficiais no estádio da Luz. É o 22º a consegui-lo. Ao todo já assistiu para golo 20 vezes em jogos oficiais pelo Benfica;

Chegou ao fim a sequência máxima, na história do Benfica, de 10 jogos fora consecutivos sem derrota em provas da UEFA. O anterior recorde era 5, conseguido 4 vezes;

38

Rafa passou a ser o 38º com mais jogos oficiais de águia ao peito. Soma 284 e está a 21 de alcançar da 30º posição. Tem 75 golos em competições oficiais e é o 31º mais goleador do Benfica, estando a 4 do 30º. Neste século, é o 4º com mais assistências para golo, com 57, atrás de Pizzi (94), Gaitán (81) e Grimaldo (62). Relativamente aos jogos no estádio da Luz, incluindo particulares, passou a ser o 6º no ranking;

40

Florentino tornou-se no 4º jogador formado no Benfica Campus a chegar aos 40 jogos oficiais no estádio da Luz;

50

Musa chegou aos 50 jogos oficiais, 11 como titular) pelo Benfica (9 na presente época, 6 no 11 inicial). Apontou 15 golos (4 em 2023/24), um a cada 124 minutos de utilização (incluindo tempos adicionais).

Jornal O Benfica - 6/10/2023

segunda-feira, 2 de outubro de 2023

Vamos ganhar!

Tenho lido e ouvido repetidamente uma ladainha sobre atributos do FC Porto que já enjoa. Não é desta semana, tem anos. E sempre que há um clássico, lá vem ela, qual mantra de pessimistas e mal-intencionados.

“Contra o Benfica, é o jogo da vida deles”, “medo cénico”, “aguentam melhor a pressão” e outros que tais, todos querem dizer o mesmo e nenhum tem validade se pararmos por um segundo e nos lembrarmos que, nas últimas três partidas, ou seja desde que Roger Schmidt chegou ao Benfica, foram duas vitórias para o nosso lado, qualquer delas antecedida por estes mesmíssimos argumentos.

E que tal olhar para cada um dos jogadores mais utilizados do Benfica e tentar descortinar essa suposta sina. Mas quem, afinal, se amedronta, ou seja lá o que for? Um dos muitos estrangeiros, quase todos há pouco tempo em Portugal? O Otamendi? Deixem-me rir. O Di María dos grandes palcos? Só pode ser piada. Os portugueses, como o António Silva e o João Neves, que não tremem e parecem ter nascido ensinados sobre como se joga futebol? Ou o Rafa, que até já marcou duas vezes no Dragão em triunfos benfiquistas? Por favor…

O que esta conversa reflecte é o pessimismo de alguns benfiquistas e, sobretudo, a vontade dos nossos adversários. Tomara eles que a historieta do medo fosse verdadeira. E tentam que o seja, disso não duvido. Se se socorreram de Delanes Vieiras e Alexandrinos, não hão-de acreditar no poder de sugestão, que até é comprovado cientificamente?

Este discurso, ainda por cima, é pernicioso. Relega, para um plano secundário, as duas vitórias nos últimos três jogos, os inúmeros exemplos de arbitragens prejudiciais ao Benfica ao longo de décadas e também erros próprios, que os houve, em diversos desafios. Além de alimentar os anseios dos benfiquistas, logo muito audíveis durante o jogo caso o FC Porto esteja por cima durante cinco minutos (como se tal fosse inconcebível perante um bom adversário), correndo-se, aí sim, o perigo da equipa se enervar.

A realidade é esta: o Benfica tem um treinador capaz de implementar um futebol mais atrativo e um plantel melhor. Tem jogado uns furos claramente acima, tem tudo para ganhar hoje, assim como o fez na Supertaça.

Tal significa que o jogo é fácil e a vitória está assegurada? De todo. O FC Porto tem potencial para ser organizado defensivamente, jogará nos limites da agressividade que o árbitro permitir, torneará as dificuldades da pressão alta do Benfica com passes longos, apostará muito nos duelos individuais e segundas bolas, tentará ocupar o meio-campo encarnado, colocará vários jogadores na área benfiquista e terá uma equipa, apesar de menos talentosa, evidentemente mais física.

E então? Não foram exactamente estes os predicados tão propalados antes da Supertaça com o resultado que se conhece?

Desconheço antecipadamente, como é óbvio, o desfecho do jogo. Só sei que estou confiante e a razão é simples: a equipa do Benfica merece que se confie nela.

Jornal O Benfica - 29/9/2023

Números da semana (142)

2

A judoca Rochele Nunes chegou à final, na categoria +78kgs, no Grand Slam de Baku;

4

Vasco Vilaça classificou-se em 4º lugar no Campeonato do Mundo de triatlo, a melhor classificação de sempre de um português;

6

Está reduzido a 6 o grupo de totalistas nos 8 jogos oficiais em 2023/24 (Aursnes, Bah, João Neves, Kökcü, Otamendi e Rafa). Aursnes é o único totalista absoluto (826 minutos – inclui tempos adicionais);

8

Rafa cimentou a liderança na participação direta na finalização dos golos do Benfica em competições oficiais em 2023/24. Soma 3 golos e 5 assistências. Seguem-se Di María, com 6 (5+1), Musa (4+0) e Neres (1+3), com 4, e Kökcü, com 3 (1+2);

9

O Benfica conquistou a Supertaça de hóquei em patins pela 9º vez e elevou para 9 os troféus (7 Supertaças) ganhos em 2023/24 no futebol e modalidades de pavilhão. E o mesmo é dizer que venceu todos os disputados a nível nacional;

15

Musa tem 15 golos em jogos oficiais pelo Benfica em 48 jogos. No entanto, foi titular em 10 partidas somente, conseguindo um golo a cada 118 minutos de utilização, um registo muito assinalável (inclui tempos adicionais);

17

O Benfica Campus completou 17 anos de existência e de importância primordial para o clube. No atual plantel contam-se 10 futebolistas formados no Benfica Campus (André Gomes, António Silva, Florentino; Gonçalo Guedes; João Neves, Kokubo, Morato, Samuel Soares, Tiago Gouveia e Tomás Araújo);

50

Aursnes e Bah atingiram a marca dos 50 jogos oficiais pelo Benfica;

82,27%

O relatório e contas do exercício de 2022/23 do Sport Lisboa e Benfica foi aprovado com 82,27% dos votos. Participaram na votação 474 sócios.

Jornal O Benfica - 29/9/2023

Números da semana (178)

1 Terminadas as principais 7 ligas europeias e a Liga dos Campeões, Trubin foi o melhor guarda-redes sub-23 nos seguintes dados estatístic...