terça-feira, 30 de maio de 2023

A incógnita dos 300 milhões

Crónica publicada no Dinheiro Vivo. Também publicada, em papel, no suplemento que acompanha as edições do Diário de Notícias e Jornal de Notícias.

Em busca do título merecido

Se dúvidas restassem, a exibição do Benfica na segunda parte do dérbi em Alvalade foi a demonstração cabal de uma equipa com enorme competência e personalidade.

O jogo era de título e em casa de um adversário histórico. Como se compreende, o Sporting quis, acima de tudo, evitar que o Benfica se sagrasse campeão no seu estádio. E esteve melhor na primeira metade, chegando mesmo à vantagem de dois golos. Roger Schmidt corrigiu o que entendeu que deveria corrigir e o Benfica passou a mandar no jogo, fez 16 remates (só na 1ª parte com o Rio Ave e na 2ª parte com o Vizela, ambos na Luz, fizera mais), obteve o empate e o espectro de um triunfo benfiquista pairou até ao apito final. Só uma equipa com muita crença, confiante e competente poderia ter reagido assim.

Agora, frente ao Santa Clara, a atitude só pode ser uma: encarar o derradeiro embate como o fez com o Braga, o Portimonense ou o Sporting durante a 2ª parte, só para mencionar exemplos recentes. Se o fizer, tem 99,9% de possibilidades de conquistar o 38º título nacional.

E, nesse caso, será um campeão justo, pois tem a equipa que lidera desde a primeira jornada, melhor futebol joga, mais golos marca e menos sofre. E é, em simultâneo, a equipa portuguesa que melhor desempenho teve nas competições europeias, gerando mesmo aspirações legítimas a disputar as meias-finais da principal prova europeia, o que não acontece desde 1990.

Neste século ganhámos o campeonato quatro vezes na última jornada. Só em 2005 receei que não atingíssemos o objectivo. Hoje, como em 2010, 2016 e 2019, o meu optimismo assenta na constatação, para mim mais do que evidente, de que temos a melhor equipa. Confio plenamente na capacidade do nosso plantel. Que venha o título!

P.S.: Nem todos os sportinguistas são assim, mas há muitos que se caracterizam por um ódio visceral ao Benfica ao ponto de, por vezes, dar a sensação de uma certa resignação perante falhanços próprios desde que o Benfica não vença. Mas, na hora da verdade, mesmo com a invasão benfiquista não obstante os apelos obtusos de “caça ao lampião”, o dérbi em Alvalade já não tinha uma assistência tão baixa em jogos do campeonato desde 2012. Eles lá dizem que são a “maior potência desportiva nacional”, só revelando desconhecimento do significado das palavras “maior”, “potência” e/ou “nacional”.

Jornal O Benfica - 26/5/2023

Números da semana (124)

1

O Benfica está (em princípio) a um ponto de conquistar o 38º título nacional de futebol;

3

Aursnes soma 3 golos, todos de cabeça. Na presente época, só Gonçalo Ramos (5) e António Silva (4) cabecearam para o fundo das redes mais vezes do que o norueguês;

11

Que se deseja 12 após o fim de semana! Dos 37 títulos conquistados pelo Benfica, 11 aconteceram na última jornada. Destes 11, 8 aconteceram em casa, 3 dos quais no atual estádio da Luz (2010; 2016; 2019). No último, frente ao Santa Clara, o adversário de amanhã. Ao todo, foram 22 em casa;

21

João Neves estreou-se a marcar e foi o 21º do plantel a fazê-lo na presente temporada em jogos oficiais;

22

A equipa feminina de andebol sagrou-se campeã invicta, com 21 vitórias e 1 empate. São 44 jogos consecutivos sem derrota no campeonato;

31

Grimaldo atingiu a marca de 302 jogos oficiais pelo Benfica e passou a ser, a par de João Pinto, o 31º no ranking. Incluindo particulares, tem 330 jogos, tantos quanto Álvaro e Silvino. O trio ocupa a 41ª posição no ranking;

100

Florentino completou uma centena de jogos pela equipa de honra do Benfica (incluindo particulares);

150

Odysseas Vlachodimos chegou aos 150 jogos pelo Benfica no Campeonato Nacional. É o 3º no atual plantel, o 5º guarda-redes e o 8º estrangeiro;

300

Rafa atingiu os 300 jogos pelo Benfica (incluindo particulares);

4000

Florentino juntou-se ao grupo de jogadores utilizados em 4000 ou mais minutos por Roger Schmidt em competições oficiais (inclui tempos adicionais). São os seguintes: Odysseas (5183), Grimaldo (5063), João Mário (4381), Otamendi (4372), António Silva (4291) e Florentino (4000).

Jornal O Benfica - 26/5/2023

segunda-feira, 22 de maio de 2023

Uma águia na proteção da baliza

Artigo publicado no jornal O Benfica na edição de 19 de maio de 2023.

Em busca do título

No último fim de semana assistimos a várias exibições de acordo com as expectativas.

O Benfica, após um jogo muito bem conseguido frente ao Braga, pecando apenas, mas gritantemente, na finalização, chegou a Portimão, viu e goleou. Li e ouvi amiúde que o Benfica se apresentou contra o Portimonense como o fizera ante o Braga, mas a diferença residira na capacidade do adversário, daí os resultados distintos. Discordo desta ideia. A diferença residiu, isso sim, na eficácia benfiquista. Talvez o Braga não sofresse cinco golos, mas no mínimo três não chocaria quem quer que tivesse visto a partida.

O FC Porto ganhou de aflitos ao Casa Pia. E nada fez em grande parte do jogo para ter uma noite descansada. Sem brilho, sem competência, lutou e ganhou. Às vezes ganha sem brilho, sem competência e até sem luta, mas tem estrelinha, com ou sem insígnias FIFA.

Sérgio Conceição deu mais um show no banco. Se fosse há uns 150 anos e o treinador do FC Porto tivesse a sorte de ser descoberto por Phineas Taylor Barnum, o fundador do “Maior Espectáculo do Mundo” em Nova York, teria, apesar do oceano de distância, um emprego pós-laboral garantido. Seria, por certo, uma das atracções mais apreciadas do mais famoso circo de aberrações de que há memória. Mas conviria que aquele indivíduo que não me ocorre agora o nome, aquele que continua a frequentar relvados sem açaime, estivesse suspenso quando P.T. Barnum fosse em missão de prospecção ao estádio do dragão. Caso contrário, e por incrível que possa parecer, Sérgio Conceição seria preterido por outra figurinha ainda mais patética e lá se ia o biscate.

E que exibições desejo neste fim de semana que se avizinha? É simples.

Que o Benfica seja Benfica e o Sporting seja Sporting. A acontecer, teremos mais hipóteses de ganhar. E que o FC Porto continue a ser o FC Porto habitual desta época. Talvez, se o deixarem, tenha azar.

Jornal O Benfica - 19/5/2023

Números da semana (123)

1

O Benfica está a uma vitória de conquistar o 38º título nacional de futebol;

Passados 4 anos, o ténis de mesa benfiquista está de regresso à 1ª divisão;

2

Musa bisou em Portimão e tem agora 11 golos em jogos oficiais na temporada. É o elemento do plantel que precisa de menos minutos para concretizar um golo (115), seguido por Gonçalo Ramos (133) – inclui tempos adicionais;

4

Foram 4 os canoístas do Benfica medalhados na Taça do Mundo. Fernando Pimenta conseguiu o ouro em K1 500, a prata em K1 1000 e, com Teresa Portela, o bronze em K2 misto 500. João Ribeiro e Messias Baptista obtiveram o bronze em K2 500;

9

O Benfica é bicampeão nacional de andebol no feminino pela 9ª vez. Desde 1993 que não vencia o Campeonato Nacional pela 2ª vez consecutiva;

16

Neres fez a 16ª assistência em competições oficiais em 2022/23. É o 20º no ranking desde 2009/10. Em 2022/23, lidera no capítulo de assistências por jogo, com 0,35, seguido por Grimaldo (0,27), João Mário (0,24) e Rafa (0,22). E destaca-se ainda mais nos minutos por assistência (187). Seguem-se-lhe Grimaldo (355), João Mário (361) e Rafa (373) – inclui tempos adicionais;

17

17 anos depois o Benfica volta a competir nas meias-finais do Campeonato Nacional de rugby;

40

Gonçalo Ramos marcou o seu 40º golo em competições oficiais pela equipa de honra do Benfica. É o 59º mais goleador de sempre (no campeonato soma 29 e é o 50º). Esta época totaliza 26, todos de bola corrida. Desde 1990/91, só os seguintes jogadores marcaram mais numa só temporada, excluindo penáltis: 29 (Jonas – 2014/15, 2015/16 e 2017/18); 28 (Cardozo – 2009/10; Darwin – 2021/22); 27 (Seferovic – 2018/19);

50

Gonçalo Guedes chegou aos 50 jogos pelo Benfica no Campeonato Nacional.

Jornal O Benfica - 19/5/2023

domingo, 14 de maio de 2023

A verdade que lhes dói

No antigo regime soviético havia uma piada com os títulos dos dois principais jornais, o Pravda e o Izvestya. E dizia-se: No Pravda não há notícias (“izvestya”). No Izvestya não há verdade (“pravda”). Ora, de António Salvador, nem pravda nem izvestya.

O gesto que fez na tribuna presidencial após o Benfica – Braga deu a entender que se sentiria roubado. Que não tivesse qualquer razão para tal, parece ser secundário. E recuemos uns meses e aos seus dislates no seguimento da péssima arbitragem que colocou o Benfica fora da Taça de Portugal precisamente em Braga: “Houve três grandes equipas em campo (…). Foi uma grande arbitragem”, disse, sem se escangalhar a rir.

Por aqui se vê, qual aprendiz de meia tijela de técnicas à Pravda (com inspiração em propagandistas profissionais um pouco a sul), que o presidente do Braga diz as suas verdades, tenham elas, ou não, adesão à realidade. O que já nem é notícia.

“Pravda”, li afirmado por uma personagem de um livro de Julian Barnes (Amor & C.ª), não tem rima em russo. Porém, digo agora eu, verdade, em português, rima que se desunha, mas não, como é bem perceptível, com Salvador, nem sequer metaforicamente.

Claro que tudo isto é uma brincadeira. Entende-se a frustração sentida por uma inapelável derrota da sua equipa no estádio da Luz, que o foi mesmo apesar dos números pouco expressivos. E também declarações e atitudes susceptíveis de pronta redenção se a vergonha ainda fosse uma virtude. Só não se percebe o objectivo.

O que ganha o Braga, senão cobrir-se de ridículo, com esta atitude do seu presidente? Será que toma dores, em todo o caso fictícias, de outrem?

Como gesto de gratidão, parece-me excessivo. Mesmo tendo em conta a transferência mais cara de sempre do futebol português, da qual se diz incluir um prémio de meio milhão de euros em caso de conquista do título, para mais de um jogador raramente utilizado desde final de outubro? São insondáveis os mistérios do futebol português.

Verdade verdadeira, daquelas que de Pravda nada têm, é que o Benfica fez uma grande exibição e não goleou porque, enfim, é futebol. Que venham os rótulos que bem lhes aprouver, será sinal de um Benfica campeão.

P.S.: E por falar em campeões, parabéns às nossas equipas de futebol no feminino, voleibol e polo aquático no feminino!

Jornal O Benfica - 12/05/2023

Números da semana (122)

1

A equipa feminina de andebol do Benfica está a uma vitória da revalidação do título de campeão;

3

O Benfica é tricampeão nacional de futebol no feminino. A este título junta as conquistas da Supertaça e da Taça da Liga, além da participação na fase de grupos da Liga dos Campeões;

4

O Benfica é tetracampeão nacional de polo aquático no feminino;

11

O Benfica sagrou-se campeão nacional de voleibol pela 11ª vez, conseguindo um inédito tetra, o 8º título nas últimas 10 edições do Campeonato Nacional;

15

Neres chegou às 15 assistências para golo em jogos oficiais e passou a ser o líder deste ranking no plantel benfiquista da presente temporada. Seguem-se Grimaldo (14), João Mário (12), Rafa (9), Gonçalo Ramos e Bah (5). E é ainda mais líder nos minutos de utilização por assistência (194 – inclui tempos adicionais e só são considerados aqueles com mais de uma assistência), seguido por Grimaldo (349), João Mário (353) e Rafa (404);

25

Otamendi é agora o 25º mais utilizado no atual estádio da Luz, totalizando 5894 minutos em campo (inclui jogos particulares e tempos adicionais). É o 36º em número de jogos (64);

71

Rafa chegou aos 71 golos pelo Benfica em jogos oficiais, passando a ser, a par de Isaías, o 33º na lista de goleadores. No Campeonato soma 49 de águia ao peito e é, a par de Reinaldo, o 31º. No estádio da Luz, incluindo jogos particulares, soma 38 golos (19 em cada baliza) e passou a ser, a par de Lima, o 6º melhor marcador;

300

Grimaldo atingiu a marca de 300 jogos em competições oficiais pelo Benfica. É o 32º com mais jogos oficiais de águia ao peito e o 3º estrangeiro que mais vezes representou a equipa de honra. Considerando os jogos particulares, soma 328 e é o 43º.

Jornal O Benfica - 12/05/2023

segunda-feira, 8 de maio de 2023

Números da semana (121)

1

O Benfica está a um triunfo de renovar os títulos de voleibol no masculino e polo aquático no feminino (em ambos será, caso ganhe, tetracampeão);

5,75%

Taxa de juro praticada no empréstimo obrigacionista cuja emissão foi anunciada pela Benfica SAD (no montante de 40 milhões de euros para substituir o emitido em 2020, que termina agora, e totalizou 50 milhões de euros). No empréstimo lançado há cerca de um ano, a taxa de juro era de 4,6%. A subida é relevante, mas bem menor que a verificada na taxa de juro de referência no mesmo período (de 0,29% para 3,65%);

7

A ginástica do Benfica conquistou 7 títulos nacionais nos trampolins;

8

O triunfo em Penafiel aumentou a vantagem do Benfica B para 8 pontos relativamente ao antepenúltimo classificado, com quatro jornadas por disputar. Um passo importante para a manutenção;

23

O Benfica conquistou a 23ª Taça de Portugal de basquetebol do seu palmarés, que já não ganhava desde 2017, ano em que venceu pela 4ª vez consecutiva depois de 17 edições sem erguer o troféu. Antes vencera 5 seguidas após 10 anos de jejum. Início de nova dinastia na prova?

50

Florentino chegou aos 50 jogos pelo Benfica no Campeonato Nacional;

219

Odysseas Vlachodimos passou a ser, a par de Espírito Santo, o 56º com mais jogos oficiais pela equipa de honra do Benfica (219 partidas);

327

Grimaldo chegou aos 327 jogos (incluindo particulares) de águia ao peito, tantos quanto Jaime Graça, passando a ser o 43 no ranking dos jogadores com mais jogos. Em competições oficiais soma 299 partidas pelo Benfica e é o 32º (marcou 25 golos – 17 no Campeonato Nacional – e fez 61 assistências para golo).

Jornal O Benfica - 5/5/2023

segunda-feira, 1 de maio de 2023

Teto salarial no futebol

Crónica publicada no Dinheiro Vivo. Também publicada, em papel, no suplemento que acompanha as edições do Diário de Notícias e Jornal de Notícias.

Os beneficiados chorões

A comparação deveria ser do domínio do absurdo, mas é verdadeira e não surpreende quem, jornada após jornada, segue atentamente o Campeonato Nacional português de futebol. Desde 2019/20, o FC Porto beneficiou de 47 grandes penalidades, enquanto o Benfica se ficou pelas 27.

Escrito de outra forma, no período em análise, as equipas de arbitragem assinalaram uma grande penalidade favorável ao FC Porto em cada 251 minutos, enquanto precisaram de 437 para descortinar uma a favor do Benfica. Ou seja, um penálti para os portistas em cada três jogos (incompletos) e um penálti para o Benfica a cada quase 5 jogos.

Anomalia estatística? Reflexo do tipo de jogo ou das características técnicas (não “artísticas”) dos jogadores? Azar? Até poderia ser, mas quem vê os jogos sabe que não é o caso e dados estatísticos como oportunidades de golo esperadas, remates, ações na área adversária, etc, não estabelecem correlação, pelo contrário até revelam uma discrepância entre a realidade e o que seria expectável face a esses dados.

Recupero um artigo da minha autoria, publicado em O Benfica há pouco mais de um ano: O FC Porto era, entre os cinco primeiros classificados dos campeonatos dos 15 países melhor posicionados no ranking europeu de clubes, o líder destacado em adversários admoestados com cartão vermelho, uma situação que não encontrava paralelo, nem de perto nem de longe, com o observado na Liga dos Campeões. Por conseguinte, era esmagador, a favor do FC Porto quando comparado com o Benfica, o tempo jogado em superioridade numérica. E, claro, invertiam-se os papéis na análise do tempo jogado em inferioridade numérica, em que o Benfica “superava” o FC Porto.

O que se passa então em 2022/23? A resposta é fácil de adivinhar: 11 cartões vermelhos a adversários do FC Porto, 4 a adversários do Benfica, sendo que um deles foi após o apito final.

A facilidade com que adversários do FC Porto são expulsos só é comparável ao empenho dos árbitros na “gestão” do capítulo disciplinar em jogos do Benfica, também visível na admoestação de cartões amarelos: 86 a adversários do Benfica; 118 amarelos a adversários do FC Porto.

É com estes dados em mente, além do que é facilmente perceptível pelo que se vê no campo, que se deve interpretar as lamentações de responsáveis portistas sobre arbitragens. Como é óbvio, não passam de propaganda reles, porque nem sequer é demagógica, é mesmo mentirosa e mais do que gasta. Que continuem a ter efeito, é vergonhoso, mas também não surpreende.

Jornal O Benfica - 28/4/2023

Números da semana (120)

1

O Benfica está um ponto de se sagrar tricampeão nacional de futebol no feminino;

7

João Neves foi o 7º jogador da formação do Benfica utilizado no onze inicial por Roger Schmidt. São ainda 4 os que foram chamados a partir do banco;

14

Neres leva 14 assistências para golo (em 43 jogos), o que o coloca no top25 dos jogadores do Benfica com mais assistências para golo em competições oficiais desde 2009/10. No atual plantel, só Grimaldo (3º com 61 em 298 jogos), Rafa (4º com 51 em 269 jogos) e João Mário (15º com 19 em 91 jogos) o superam neste capítulo do jogo. Neres tem uma média de 0,33 assistências para golo por jogo, seguido por João Mário com 0,21. Na presente temporada, Neres partilha a liderança deste ranking com Grimaldo, mas em menos 1913 minutos de utilização (inclui tempos adicionais);

22

O Benfica terminou a fase regular do Campeonato Nacional de futsal no feminino com um pleno de triunfos;

100

Cloe Lacasse atingiu a centena de golos de águia ao peito, é a 2ª mais goleadora de sempre do Benfica, só superada por Darlene. A canadiana lidera os rankings benfiquistas no Campeonato, na Liga dos Campeões e na Taça da Liga;

101

De acordo com dados da Sofascore, João Neves foi o jogador com mais ações na partida que opôs Benfica a Estoril, 101. O seguinte foi Grimaldo, com 86. Uma estreia sempre a procurar a bola;

4780

Odysseas Vlachodimos é o jogador mais utilizado por Roger Schmidt, com 4780 minutos em campo (inclui tempos adicionais). Após o jogo com o Estoril, passaram a ser 4, além do guarda-redes, os jogadores com mais de 4000 minutos de utilização na presente época: Grimaldo (4675); João Mário (4082); Otamendi (4066).

Jornal O Benfica - 28/4/2023

Números da semana (178)

1 Terminadas as principais 7 ligas europeias e a Liga dos Campeões, Trubin foi o melhor guarda-redes sub-23 nos seguintes dados estatístic...