terça-feira, 27 de dezembro de 2022

Futebol na América

Crónica publicada no Dinheiro Vivo. Também publicada, em papel, no suplemento que acompanha as edições do Diário de Notícias e Jornal de Notícias.

Manuel Arons de Carvalho

Todos temos referências que nos influenciam de alguma forma. O Sport Lisboa e Benfica, pela paixão que desperta em milhões de adeptos, é uma força aglutinadora notável, possibilitando-nos o conhecimento de inúmeras pessoas, as quais, pelo exemplo, moldam a nossa extraordinária experiência que é vivermos e sentirmos o clube. Para mim, o Manuel Arons de Carvalho foi um desses benfiquistas.

Desde muito novo que leio as publicações relacionadas com o Benfica e logo me apercebi da existência do Arons. Foi, a determinada altura, o benfiquista de serviço nas grandes entrevistas do jornal O Benfica, além de estar indelevelmente associado à revista Benfica Ilustrado. Acrescia o facto do meu pai conhecê-lo desde os tempos de Liceu, o que me conferiu uma certa familiaridade, embora distante, com ele no início da minha adolescência. Terão sido raras as vezes em que interagimos nesses tempos, mas sabia bem quem era e tinha o selo de qualidade de ser alguém apreciado pelo meu pai.

Muitos anos mais tarde, em particular desde que fui autor de livros sobre o Benfica e iniciei a minha colaboração com o jornal enquanto cronista (esta é a minha 388ª crónica), passei a ter algum contacto regular com o Manuel Arons de Carvalho. Auxiliou-me várias vezes ao partilhar a sua cultura e dele recebi vários emails elogiosos em relação às minhas crónicas, artigos e livros, sendo que a todos reagi agradecido, com muita satisfação e redobrado orgulho.

É que o Manuel Arons de Carvalho, além de ser um fervoroso benfiquista, foi também, no meu caso e de tantos outros que se empenham em conhecer a história do Glorioso, uma inspiração e um exemplo.

A defesa acérrima do Benfica foi uma das suas características mais conhecidas; a faceta de historiador rigoroso do atletismo reservada aos mais atentos. E foi um dos que me alertou para algumas trapalhadas de federações e comunicação social relacionadas com a história do desporto português, nomeadamente relativas ao Benfica, respeitando sempre a minha opinião, mesmo quando, em raras ocasiões, divergiu da sua, nesses casos insistindo pacientemente nos seus pontos de vista ou aceitando os meus argumentos quando bem sustentados.

O Manuel Arons de Carvalho foi um indefectível benfiquista com superior cultura desportiva, um dos que estimulou o meu gosto pela história do Benfica e com quem muito aprendi e tive a honra e o privilégio de trocar opiniões. Não o esquecerei!

Jornal O Benfica - 23/12/2022

Números da semana (105)

1

Enzo Fernández foi considerado o melhor jogador jovem do Campeonato do Mundo;

2

O Benfica tem 2 campeões do mundo no plantel, Enzo e Otamendi. Nunca houvera um campeão do mundo a jogar em Portugal;

7

Jogadores do Benfica campeões do mundo de futebol (como jogadores). Os primeiros foram Aldaír (1994) e Edilson (2002), depois de terem jogado de águia ao peito. Capdevila (2010) e Draxler (2014) alinharam pelo Benfica já com um Campeonato do Mundo no currículo. Agora, temos Enzo e Otamendi no plantel e há ainda Di María (além de Aimar, como treinador-adjunto);

18

Com o golo marcado ao Moreirense, Gonçalo Ramos voltou à liderança do ranking de golos e assistências (15+3), a par de João Mário (10+8). Seguem-se Rafa (11+6) e Neres (8+9), com 17;

28

Apesar de empate que soube a derrota, por força da eliminação da Taça da Liga, a partida em Moreira de Cónegos reforçou a série invencível de “jogos oficiais” desde o início da temporada, igualando os dois melhores registos anteriores (1971/72 e 1977/78 – todas as provas). Excluindo as competições regionais, trata-se da segunda melhor série de sempre, ainda a 3 jogos do conseguido em 1959/60;

100%

Otamendi fez o pleno dos minutos de utilização pela Argentina no Mundial. 7 jogos, 2 dos quais com prolongamento. Só Martínez e Messi jogaram tanto tempo como o capitão do Benfica;

196

Odysseas chegou aos 196 “jogos oficiais” pelo Benfica, tantos quanto Bastos (e Samaris). O trio ocupa a 65ª posição no ranking dos jogos. O grego é agora, a par de Bastos, o 7º guarda-redes com mais “jogos oficiais” de águia ao peito pela equipa de honra, a 1 de igualar Preud’homme (por ordem decrescente de jogos: Bento, Costa Pereira, José Henrique, Silvino, António Martins, Preud’homme).

Jornal O Benfica - 23/12/2022

domingo, 18 de dezembro de 2022

Do despropósito...

Esta semana o jornal A Bola entendeu, pela enésima vez, assinalar o famigerado jogo dos 7-1 em Alvalade entre Sporting e Benfica. E logo com uma extensa entrevista, a qual mereceu honras de primeira página, a Manuel Fernandes, autor de um poker nessa partida.

Não está em causa o mérito da façanha do antigo avançado do Sporting, muito menos a relevância da sua carreira, mas é totalmente descabido que essa goleada imposta ao Benfica seja recuperada por tudo e por nada. “Há 36 anos o Sporting-Benfica teve desfecho histórico” é a frase de entrada da peça. Aguardarei serenamente pela entrevista anual a Manuel Fernandes sobre os 7-1, cuja publicação já estará, certamente, agendada para 14 de dezembro de 2023.

Também não está em causa a qualidade da entrevista. Que fique devidamente registado, aprecio o autor, António Simões, há muitos anos que aprendo com ele, admiro-lhe a escrita e noto, em cada frase da sua lavra, enorme paixão por futebol. Fosse o conteúdo o mesmo, mas outra a motivação, e eu pouco teria a apontar. Embora sinta que ficaram algumas perguntas por fazer, pelo que deixo umas sugestões para a esperada entrevista do próximo ano.

Como se sentiu quando, na penúltima jornada do Campeonato na época dos 7-1, fugiu do relvado do estádio da Luz após o jogo devido à invasão eufórica de milhares de benfiquistas após a conquista do título?

Que sensações teve, nessa mesma temporada, quando, como capitão do Sporting, esteve ao lado de Shéu na tribuna do estádio do Jamor enquanto o benfiquista erguia o troféu da Taça de Portugal e festejava com os adeptos?

Em que medida os festejos após essa goleada ao Benfica contribuíram para que o Sporting não tenha vencido qualquer dos seis jogos seguintes no Campeonato?

Como é possível que esse jogo seja ainda hoje assinalado – e não se preocupe que cá estaremos para o ano para o evocar– e o consulado do treinador Manuel José não tenha sobrevivido mais do que mês e meio ao feito?

Acha que os 7-1 conseguidos em 1986 são tão celebrizados, também, porque o último título sportinguista havia sido em 1982 e só em 2000, 2002 e 2020 o Sporting voltou a ser campeão?

Sendo o Sporting um clube que se auto-intitula, convenhamos que delirantemente, maior potência desportiva nacional, não considera que se menoriza de forma gritante sempre que assinala esta efeméride?

Como perspetiva que haja quem não compreenda que Manuel Fernandes se continue a prestar a este papel patético de contribuir para que o seu clube e a sua própria carreira sejam praticamente reduzidos a um jogo?

E, por fim, tendo em conta acontecimentos recentes, quem fez mais pelo Sporting, Manuel Fernandes ou o Millennium BCP?

Jornal O Benfica - 16/12/2022

Números da semana (104)

1

No jogo amigável com o Sevilha (um clube contra o qual o Benfica se estreou em 1917, foi o primeiro adversário em competições europeias e disputou a final da Liga Europa em 2014), João Neves e Samuel Soares estrearam-se na equipa de honra do Benfica (e Lucas Veríssimo envergou a braçadeira de capitão pela primeira vez);

2

Nas meias-finais do campeonato do Mundo houve 2 jogadores do Benfica, Enzo e Otamendi;

3

Ao 10º jogo na fase de grupos da Liga dos Campeões da vertente feminina do futebol, o Benfica obteve a 3ª vitória neste patamar da prova e 3 golos ao longo dos 90 minutos, algo que nunca conseguira;

12

André Almeida foi utilizado por Roger Schmidt frente ao Sevilha e tornou-se no 34º futebolista a atuar em pelo menos um jogo da equipa de honra do Benfica em 12 temporadas diferentes. O recordista é Bento, utilizado em 20 épocas, seguido por Nené, em 18. André Almeida é o 34º com mais jogos, incluindo particulares (352). No atual plantel, Grimaldo é o mais direto perseguidor (50º - 303);

16

A equipa feminina de andebol garantiu a presença entre os 16 finalistas da EHF European Cup, num regresso às competições europeias 29 anos depois;

44

O Benfica teve 44 presenças no pódio dos Campeonatos Nacionais de Natação (seniores e juniores: 17 nos seniores masculinos (7 ouro, 6 prata e 4 bronze); 5 nos seniores femininos (todas bronze), 14 nos juniores masculinos (5; 5; 4); 8 nos juniores femininos (4; 3; 1). O Benfica foi o clube mais medalhado nos seniores masculinos, nos juniores masculinos e nos juniores (masculinos e femininos). Diogo Ribeiro (100 metros livres), Miguel Nascimento (50 metros livres) e o Benfica (4x100 livres e 4x50 estilos) bateram recordes nacionais.

Jornal O Benfica - 16/12/2022

segunda-feira, 12 de dezembro de 2022

Centenário de José Saramago

 Artigo publicado no jornal O Benfica na edição de 18 de novembro de 2022.

Números da semana (103)

5

São 5 os jogadores do Benfica nos quartos-de-final do Campeonato do Mundo, 2 pela Argentina, 3 por Portugal;

9

À hora de fecho desta edição, das 12 equipas seniores do Benfica, masculinas e femininas, de futebol e modalidades de pavilhão, 9 lideram os seus campeonatos. Futebol, basquetebol, futsal e hóquei em patins em ambos os géneros, mais o andebol (feminino). Destas 9 só a masculina de hóquei em patins não se encontra isolada na liderança. Acrescente-se as equipas femininas de polo aquático e rugby. Como disse Rui Costa esta semana, a época está a correr bem, mas é no final que nos interessa estarmos em primeiro;

20

A equipa feminina de basquetebol soma 20 vitórias em 20 jogos desde o início da temporada, incluindo 4 na competição europeia que disputa (até ao fecho desta edição). Pleno de triunfos também no andebol feminino (12, incluindo 3 jogos europeus) e no futsal feminino (12, incluindo a Supertaça decidida nos penáltis);

32

Desde Skurahvy, da Checoslováquia no Campeonato do Mundo realizado em Itália, em 1990, que um jogador não marcava 3 golos numa partida das rondas a eliminar do Mundial. Gonçalo Ramos fê-lo contra a Suíça, num jogo em que também se tornou no português mais novo de sempre a marcar nos oitavos-de-final (ou eliminatórias seguintes) da prova, num golo que, segundo dados oficiais, a bola atingiu, depois de rematada, uns impressionantes 106 kms/h, a fazer lembrar Eusébio, o anterior detentor do recorde (Coreia do Norte, 1966, quartos-de-final);

43

Casas do Benfica participantes no Torneio Mundial de Sueca, representadas por cerca de 900 benfiquistas;

70

João Alves, um dos grandes jogadores que serviram o Benfica, completou 70 anos de vida. Parabéns!

Jornal O Benfica - 9/12/2022

segunda-feira, 5 de dezembro de 2022

Números da semana (102)

3

A equipa feminina de judo do Benfica alcançou o bronze na Liga dos Campeões Europeus;

4

Nova presença benfiquista na final four da UEFA Futsal Champions League. Anderlecht, Palma e Sporting são os adversários;

11

O Benfica prossegue invicto no campeonato de basquetebol ao fim de 11 jornadas, já tendo vencido nas visitas ao FC Porto e ao Sporting;

24

Títulos nacionais de Corta-Mato do Benfica, o último conquistado no passado domingo;

27

“Jogos oficiais” invencível desde o início da temporada. É a 3ª vez, considerando todas as competições oficiais, que o Benfica não perde nos primeiros 27 jogos (anteriormente conseguiu-o em 1971/72 e 1977/78). Sem regionais, o Benfica encontra-se na 2ª melhor série de sempre, estando apenas por alcançar a conseguida em 1959/60 (31);

57

Gilberto e Neres estrearam-se a marcar na Taça da Liga e subiu para 57 o número de goleadores do Benfica na competição (excluindo 2 autogolos). Jonas, com 10, é o recordista;

133

Rafa passou a ser, a par de Nuno Gomes, o 8º futebolista com mais jogos pelo Benfica no atual estádio da Luz. E passou a ser o 10º que mais vezes esteve em campo de águia ao peito na Taça da Liga (15 jogos, ex-aequo com Gaitán e Jonas);

43263

Extraordinária assistência no estádio da Luz para o jogo com o Penafiel da Taça da Liga. Foi a melhor assistência de sempre na fase de grupos desta competição, o segundo jogo com mais público de sempre, só superado pela meia-final com o Sporting, em 2010/11. Nesta temporada, só jogos do Benfica na Luz e dois do FC Porto (Benfica e Atlético Madrid) tiveram mais espectadores, refletindo o entusiasmo dos benfiquistas pelos resultados e exibições dos comandados por Roger Schmidt ao longo da época.

Jornal O Benfica - 2/12/2022

Números da semana (178)

1 Terminadas as principais 7 ligas europeias e a Liga dos Campeões, Trubin foi o melhor guarda-redes sub-23 nos seguintes dados estatístic...