segunda-feira, 25 de outubro de 2021

Festa da Taça...

… é o Benfica ganhar. Crónica arrumada.

Mas acrescento que adoro a Taça de Portugal. É a competição mais antiga entre as disputadas actualmente (desde 1922) e aquela que mais clubes têm a possibilidade de conquistar, não só por ser a que conta com mais participantes (na presente edição foram 154), mas também pelo que o palmarés indicia: 16 vencedores entre 27 finalistas.

Vencemo-la 29 vezes em 42 finais disputadas, ambos registos máximos no futebol português. Porém, desde 1987, quando erguemos o troféu pela 24ª vez, só em cinco ocasiões voltámos a celebrar.

Este fraco pecúlio nas últimas três décadas e meia não me afasta da prova, pelo contrário, ano após ano, anseio pelo início de uma sequência de títulos que remeta este período para o passado.

Tradicionalista neste particular, preferiria que os clubes da divisão cimeira entrassem mais cedo na competição, mas até em Inglaterra já só iniciam a participação na 7ª ronda. Percebo que, do ponto de vista competitivo, poderia haver inúmeros jogos sem qualquer interesse, no entanto, entre os jogos da Taça da minha meninice que me vêm logo à memória constam, além das várias finais disputadas pelo Benfica e os 5-0 ao Sporting nuns quartos-de-final, vários com adversários desconhecidos, por norma copiosamente goleados, como o Riachense, o Ponte da Barca, o Vialonga, o Cartaxo ou o Marco, entre outros.

Sobre a obrigatoriedade dos clubes da Liga 1 jogarem fora na 3ª eliminatória, tenho sentimentos conflituantes. Por um lado, os clubes mais pequenos aumentam as hipóteses de apuramento e são anfitriões de um clube maior, por outro, muitos jogadores perdem aquela que seria a única oportunidade de jogarem num grande estádio.

Quanto às meias-finais a duas mãos, não gosto.

Jornal O Benfica - 22/10/2021

Números da semana (46)

1

E já só resta 1. Até sábado passado, dos 143 adversários portugueses que a equipa de honra do Benfica já defrontara em competições oficiais, só não ganhara a dois, o Trofense e o Gondomar. Que venha o Gondomar já na próxima época;

3

E são 3 as Supertaças ganhas pela nossa equipa feminina de polo aquático;

7

As dificuldades sentidas na Trofa já não surpreendem. Nas últimas 9 temporadas, foram 7 as vezes em que selámos o apuramento pela margem mínima (Cinfães, Covilhã, Vianense, 1º Dezembro, Olhanense, Paredes e Trofense). As excepções foram o Sertanense e o Cova da Piedade;

12

O Benfica completou 15 jogos em competições oficiais na presente temporada e alcançou a 12ª vitória. Nas 96 temporadas em que disputou pelo menos 15 “jogos oficiais” (considerando todas as competições oficiais regionais, nacionais e internacionais), só em 12 venceu 12 ou mais vezes nas primeiras 15 partidas, sendo que apenas em 1982/83 fez melhor (15 vitórias);

15

Restam 15 clubes da Liga nos 16avos de final da Taça de Portugal. Aos primodivisionários juntam-se 10 clubes da Liga 2, 3 da Liga 3 e 4 do Campeonato de Portugal. O sorteio foi efetuado já depois do fecho da edição, espero que nos tenha calhado em sorte o Mafra ou o Serpa, clubes que nunca defrontámos, nem mesmo em jogos particulares;

30

Pizzi integra agora o top 30 dos futebolistas com mais jogos, incluindo particulares, pela “primeira equipa” do Benfica. Soma 373, os mesmos que Jacinto Marques. Está a 9 de Artur Santos e a 12 de Ângelo;

32

André Almeida chegou aos 290 “jogos oficiais” pela equipa de honra do Benfica, igualando o registo de Adolfo. É agora o 32º no ranking de jogos em competições oficiais pelo Benfica, a 3 de Cardozo;

*Não inclui o Benfica - Bayern

Jornal O Benfica - 22/10/2021

terça-feira, 19 de outubro de 2021

Temos presidente!

O contexto era adverso quando Rui Costa assumiu o cargo da presidência. Luís Filipe Vieira que, meses antes, fora reeleito com a sua pior votação nas seis vezes em que concorreu, denotando-se algum desgaste de poder, demitiu-se a contas com a justiça.

Sob o espectro do vazio institucional, Rui Costa assumiu a responsabilidade de liderar o clube com eleições no horizonte. Os desafios mais prementes foram todos superados com distinção: gestão corrente assegurada; sucesso da emissão do empréstimo obrigacionista; plantel mais competitivo; e época futebolística iniciada de feição (líder do campeonato e presença garantida na fase de grupos da Liga dos Campeões, mais a retumbante vitória ao Barcelona).

Acrescem o uso do espaço mediático por Rui Costa que, apesar de escasso até à campanha eleitoral, foi suficiente para que o novel presidente demonstrasse dominar os dossiers, e os passos dados em prol de um processo eleitoral mais transparente e democrático, nomeadamente promovendo a utilização, pelas listas candidatas, dos meios de comunicação do clube para a campanha.

Glória do clube há muito considerado presidenciável, garante da estabilidade institucional e promotor de várias boas decisões em meses recentes, a eleição estava garantida.

Assim torna-se ainda mais relevante a participação recorde. Mesmo num cenário em que se antecipava o vencedor, 33754 sócios do Benfica deslocaram-se às urnas para depositar o voto em Rui Costa. Notável!

P.S.: Creio que a lista B nunca acreditou na possibilidade de vitória nas eleições e concorreu motivada unicamente pelo benfiquismo e pela crença de que seria importante promover o debate. Na prática evitou o plebiscito a Rui Costa, prestando assim um grande serviço ao clube.

Jornal O Benfica - 15/10/2021

Números da semana (45)

10

Rui Costa, antigo 10 no relvado, tomou posse como presidente da direcção do Sport Lisboa e Benfica no dia 10 do 10º mês do ano;

21

Chegou a tão aguardada notícia do regresso da comercialização do Red Pass, agendado para dia 21 de outubro e que se estenderá até dia 2 do mês seguinte, a anteceder em 5 dias o próximo jogo na Luz a contar para o Campeonato (Braga);

22

A BTV fez um trabalho extraordinário de acompanhamento das eleições. Foram praticamente 22 horas de emissão, intercaladas com a transmissão de jogos ou estreia de programas, os quais, quando pertinente, foram interrompidos para segmentos “última hora”. Também os restantes meios do clube foram prestando informação desde a abertura das urnas, às 8 horas da manhã, até que Rui Costa finalizou o discurso de tomada de posse perto das 6 da manhã do dia seguinte;

24532

A contribuir para a impressionante afluência às urnas no passado sábado esteve a descentralização do acto eleitoral. 24532 sócios exerceram o voto noutros locais que não o estádio da Luz, no qual votaram 15553 associados benfiquistas. 20066 sócios deslocaram-se às restantes 24 assembleias de voto espalhadas pelo país, sendo da mais elementar justiça enaltecer, através de mais um notável exemplo, o trabalho desenvolvido pelas Casas do Benfica. Através da internet (residentes fora de Portugal continental) votaram 4466 sócios;

33754

Sócios que votaram na lista liderada por Rui Costa, um máximo na história do clube;

40085

Votantes nas eleições, um recorde do clube e, naturalmente, também português no âmbito das associações desportivas. Segundo tem sido veiculado pela comunicação social, trata-se da segunda maior participação de sempre em actos eleitorais de clubes a nível mundial.

Jornal O Benfica - 15/10/2021

terça-feira, 12 de outubro de 2021

Pela abolição do cartão de adepto

Crónica publicada no Dinheiro Vivo. Também publicada, em papel, no suplemento que acompanha as edições do Diário de Notícias e Jornal de Notícias.

Dinheiro Vivo - 9/10/2021

Seremos campeões!

Saí do estádio frustrado com o resultado, mas convicto de que, a manter-se o nível exibicional patenteado ante o Portimonense, só por mero acaso voltaremos a perder pontos no Campeonato. O difícil será jogar sempre assim.

Enquanto lamentava o desaire e contava as oportunidades de golo perdidas, dei por mim a discordar, por antecipação, das esperadas alusões ao mérito do Portimonense.

Recuemos umas semanas até Eindhoven e lembremo-nos de como o Benfica, reduzido a dez, tapou os caminhos da baliza exemplarmente, sem recurso ao antijogo ou a faltas recorrentes. O Portimonense não é o Benfica, mas só por paternalismo, que recuso, se pode atribuir mérito aos algarvios face ao que se passou em campo.

Paulo Sérgio foi digno ao reconhecer que não se conquistam pontos sem sorte no estádio da Luz, implicitamente assumindo que o triunfo da sua equipa se deveu também ao acaso, o que é raro e deve ser enaltecido. Não se pode, porém, escamotear o antijogo praticado pelos alvinegros, além de que só por infelicidade e desinspiração próprias o Benfica não goleou, o que significa que, sim, o Portimonense defendeu bem em alguns momentos e houve defesas milagrosas do guarda-redes e defensores, mas outros houve em que só a inépcia em frente à baliza inviabilizou uma goleada benfiquista.

O desfecho do jogo resumiu-se à ineficácia do Benfica. Tivéssemos nós chegado à vantagem e não mais os jogadores do Portimonense atrasariam reposições de bola ou se prostrariam no relvado acometidos por supostas lesões que de grave tiveram somente a irredutível complacência de Fábio Veríssimo, um árbitro inútil e manifestamente desajeitado para dirigir um jogo. Continue assim a nossa equipa e não duvido que seremos campeões.

Jornal O Benfica - 8/10/2021

Números da semana (44)

8

Como em 1942/43 e 1980/81, temporadas de pleno de vitórias nas 7 jornadas iniciais, o Benfica, na presente época, perdeu pela primeira vez na 8ª ronda do Campeonato Nacional. Só em 1972/73 e 1982/83 conseguimos melhor. Fica uma nota de optimismo: nas duas vezes anteriores em que este foi o percurso, sagrámo-nos campeões nacionais;

10

Intensa, emocionante e gloriosa, foi assim a Supertaça de voleibol. Vencemos este troféu pela 10ª vez nas últimas 11 temporadas;

14

Foi apenas a 2ª vez em que a 1ª derrota da temporada surgiu ao 14º “jogo oficial”. Apenas em 9 épocas, nas 99 em que o Benfica disputou pelo menos 14 partidas em competições oficiais, este registo foi superado;

24

A injustiça do resultado com o Portimonense também se nota por este dado: Foram 24 os remates efectuados pelo Benfica na partida ante o Portimonense, o máximo da Liga Bwin ao fim de 8 jornadas na presente temporada;

50

Jogos “oficiais” de Otamendi pelo Benfica, nos quais usou a braçadeira de capitão em 42 ocasiões. Tradicionalmente, a braçadeira de capitão era envergada pelo atleta com maior antiguidade na equipa de honra, mas casos houve em que foi outro o critério. Por exemplo, José Antonio Camacho promoveu uma eleição entre os elementos do plantel. Jorge Jesus, nesta segunda passagem pelo Benfica, aparentemente aplicou os critérios da personalidade, experiência e liderança no balneário para definir os membros do grupo dos capitães. André Almeida, Pizzi e Vertonghen foram, desde que a época iniciou, os restantes capitães de serviço;

289

André Almeida chegou aos 289 “jogos oficiais” pela equipa de honra do Benfica e é, a par de Paneira, o 33º no ranking. Está a 12 do 30º, João Pinto.

Jornal O Benfica - 8/10/2021

segunda-feira, 4 de outubro de 2021

Mau jornalismo

Num contexto em que se anteviam dificuldades, fomos a Guimarães demolir o Vitória, fazendo, na primeira parte, os melhores 45 minutos da época na opinião de muitos (que não a minha, pois valorizo mais, pela dificuldade, a primeira parte com o PSV na Luz). Ao intervalo estava 0-2, mas ninguém estranharia se a vantagem fosse de quatro ou cinco golos. Foi uma grande exibição!

Tanto que haveria a perguntar a Jorge Jesus, até por uma questão de pedagogia. Que bom seria perceber melhor o que se passou em campo e quais as razões de tamanha superioridade benfiquista. É que Jorge Jesus tem uma qualidade pouco notada e ainda menos elogiada: gosta de falar de futebol nas conferências de imprensa. Convém é saber colocar-lhe questões pertinentes de âmbito técnico-táctico.

Em Guimarães assistimos, também neste domínio, a mais um festival de oportunidades perdidas. Só a pergunta de Mário Serra, da BTV, incidiu sobre futebol. As restantes, com excepção da referência en passant ao percurso vitorioso no início de campeonato, focaram-se em aspectos laterais ao jogo, procurando-se sempre a polémica por muito artificial que fosse. A técnica é básica: pergunta-se e, independentemente da resposta, o assunto está criado. Foram várias as tentativas, só sobre jogadores foram quatro… E depois o pináculo da cretinice: “Jorge Jesus, a equipa está preparada para quando chegar a derrota?”. Será que ainda se lembravam do jogo terminado vinte minutos antes?

Não quero ser desagradável. Se calhar até seriam bons jornalistas caso fossem completamente diferentes dos jornalistas que são, pelo menos a avaliar pelas perguntas colocadas e, sobretudo, pelas que ficam por colocar. É pena, sobretudo para quem gosta de futebol.

Jornal O Benfica - 1/10/2021

Números da semana (43)

1

A época da equipa feminina de basquetebol começou como terminou a anterior, a ganhar! Mais uma conquista inédita, desta vez a Supertaça;

2

Em Guimarães, Yaremchuk bisou pela primeira vez de águia ao peito, Rafa fez duas assistências e João Mário marcou pela 2ª vez ao serviço do Benfica. Com o Barcelona foi Darwin a bisar;

6

Darwin bisou pela 3ª vez na temporada e lidera o ranking dos goleadores benfiquistas com 6. Segue-se Rafa, autor de 5 golos, e Yaremchuk, com 4. No capítulo das assistências, Rafa e Weigl têm 3, e um quinteto, do qual o avançado ucraniano faz parte, com duas cada;

7

Melhor não se poderia pedir neste início de Campeonato. 7 triunfos consecutivos nas 7 jornadas iniciais é um registo conseguido apenas pela 5ª vez em 88 edições da prova. As vezes anteriores ocorreram em 1942/43, 1972/73, 1980/81 e 1982/83;

13

Em 100 temporadas com pelo menos 13 partidas disputadas em competições oficiais, o Benfica não sofreu qualquer derrota nos primeiros 13 jogos pela 11ª vez. Nestas 11 temporadas, só por três vezes conseguiu um mínimo de 11 vitórias. 13 em 1982/83, 11 em 1971/72 e 2021/22 (todas as competições oficiais, incluindo regionais);

19

Golos no Campeonato nas primeiras 7 jornadas. Desde o início dos anos 90, esta marca só por uma vez foi superada, em 2009/10 (24) e houve outras 3 temporadas com este registo à 7ª ronda, todas sob a orientação de Jorge Jesus (2011/12; 2012/13 e 2014/15);

50

Jogos “oficiais” de Darwin pelo Benfica (em Guimarães), nos quais assinou 18 golos e 11 assistências. Após o desafio com o Barcelona, tem 20 golos;

80

Rafa passou a figurar no top 80 dos futebolistas com mais jogos pelo Benfica na equipa de honra (incluindo particulares). É o 78º, com 216 (62º nos golos, com 53).

Jornal O Benfica - 1/10/2021

Números da semana (178)

1 Terminadas as principais 7 ligas europeias e a Liga dos Campeões, Trubin foi o melhor guarda-redes sub-23 nos seguintes dados estatístic...