segunda-feira, 30 de maio de 2022

Números da semana (76)

0

Pelo 2º ano consecutivo, a nossa equipa de futebol sagrou-se campeã nacional e terminou invicta a fase de apuramento do campeão, obtendo 13 vitórias e um empate em ambas as edições;

2

Duração do contrato que liga Roger Schmidt ao Benfica. Que se prolongue por muitos anos, seria bom sinal;

3

Falta a última jornada – um jogo difícil com o Braga no Benfica Campus – e estamos a 3 pontos do título nos juniores. De salientar que no jogo em Alverca, disputado no fim-de-semana passado, 10 dos 16 jogadores utilizados são juniores de 1º ano;

5

Portugal é o 5º país em que Roger Schmidt trabalha, depois de bons desempenhos na Alemanha, Áustria, China e Países Baixos;

6

Possíveis adversários do Benfica na 3ª pré-eliminatória de acesso à fase de grupos da Liga dos Campeões: Union Saint-Gilloise (Bélgica); Sturm Graz (Áustria); Mónaco (França) e Fenerbahçe (Turquia), Midtjylland (Dinamarca) ou AEK Larnaca (Chipre). O sorteio está agendado para 18 de julho;

Medalhas conquistadas por atletas do Benfica no Campeonato Iberoamericano de atletismo, sendo duas de ouro (Isaac Nader nos 1500 metros e Leandro Ramos no dardo);

E também na Taça do Mundo de Velocidade, em canoagem, 6 canoístas do Benfica venceram medalhas. Fernando Pimenta conseguiu o ouro em K1 1000m e, com João Duarte, em K2 1000m;

24,4

Idade média dos jogadores (a 1 de julho de cada época) utilizados por Roger Schmidt desde que, em 2011/12, assumiu o cargo de treinador do Paderborn. Excluindo-se as épocas na China, a média desce para 23,9;

273

Confirmada a contratação de Petar Musa, já só faltam concretizar-se os restantes 273 (ou 567) possíveis reforços anunciados pela comunicação social.

Jornal O Benfica - 27/05/2022

terça-feira, 24 de maio de 2022

O VAR tem de melhorar

Crónica publicada no Dinheiro Vivo. Também publicada, em papel, no suplemento que acompanha as edições do Diário de Notícias e Jornal de Notícias.

Dinheiro Vivo - 21/5/2022

Ciclo desvirtuoso

A desfaçatez com que o Conselho de Disciplina trata o Benfica só tem paralelo na forma como o Conselho de Arbitragem nos provoca, semana após semana.

Repare-se bem no ciclo desvirtuoso:

- Fontelas Gomes, o homem do futebol de praia muitíssimo bem pago para dirigir o setor da arbitragem do futebol de onze, faz nomeações que levam qualquer benfiquista minimamente atento a torcer o nariz;

- Para espanto de ninguém, as arbitragens em jogos do Benfica correm mal, invariavelmente em prejuízo do Benfica;

- O Benfica aguenta, aguenta, aguenta… em nome da defesa da imagem do futebol português, até que reage;

- E logo surge, com uma participação ao Conselho de Disciplina, o corporativismo do costume da APAF, sempre defensora cega dos árbitros, mesmo daqueles que insistem em denegrir todo o setor em função das suas habituais péssimas atuações, muitas das vezes aparentemente tendenciosas;

- Por sua vez, o Conselho de Disciplina, ao ler a palavra Benfica, parece pensar logo no financiamento da Liga;

- E tocam a música das multas, com melodia dos Hot Butter, só para disfarçar: “São multas ao almoço, são multas ao jantar, o raio das multas não há meio de acabar”. E sorriem com cumplicidade e camaradagem;

- É então atingido o êxtase na reunião do Conselho de Disciplina, está na hora de convocar a criatividade para justificar as multas, servindo uma coisa qualquer, desde que provoque indignação;

- A APAF fica contente, o Conselho de arbitragem contente fica. Viram o disco e tocam o mesmo.

E agora que estamos no defeso e não há jogos, façam-se apostas!

Eu aposto que a próxima multa ao Benfica decretada pelo Conselho de Disciplina dever-se-á a ter acabado de contratar um treinador cujo último clube é de um país onde um dos petiscos predilectos é arenque cru. Parece-lhe insuficiente e ridículo, caro leitor? Não se admire!

Jornal O Benfica - 20/5/2022

Números da semana (75)

2

Henrique Araújo bisou em Paços de Ferreira, mostrando os dotes de goleador que já mostrara em todos os escalões ao serviço do Benfica;

4

Já são 4 as equipas femininas campeãs nacionais na presente temporada: andebol; basquetebol; futebol; polo aquático. E, no último fim-de-semana, as nossas futsalistas e hoquistas garantiram o primeiro lugar na fase regular dos respetivos campeonatos;

4,6%

Taxa de juro do empréstimo obrigacionista da Benfica, SAD em período de subscrição, 0,6 pontos percentuais acima do anterior. Este aumento reflete a escalada inflacionista vivida mundialmente e as previsíveis subidas das taxas de juro de referência, já que o risco, tendo em conta o histórico de reembolsos feitos sempre atempadamente pela SAD benfiquista, é muito reduzido;

5

A equipa B terminou o campeonato no 5º lugar, sem dúvida uma boa classificação. Mas mais importante do que o desempenho desportivo foi a notória evolução futebolística dos jogadores, alguns deles a serem lançados na equipa de honra, com destaque para Paulo Bernardo, o mais utilizado, e Henrique Araújo, autor de 3 golos;

E Diego Moreira é o 5º mais novo de sempre a estrear-se pela equipa A em competições oficiais;

9

O Benfica terminou a época em Paços de Ferreira, utilizando 9 jogadores da formação. Talvez seja inédita a utilização desta quantidade de atletas formados no Benfica num jogo do Campeonato Nacional (em 1982/83, em Braga, foram 8);

29

Anos passados desde que havíamos vencido, pela última vez, o Campeonato Nacional de andebol (feminino). Esta semana fomos campeões pela 8ª vez, um título que começou a ser ganho em 2018, quando, em boa hora, o Benfica retomou a actividade desta secção.

Jornal O Benfica - 20/5/2022

terça-feira, 17 de maio de 2022

De frame em frame enche o dragão o papo

O que são dois centímetros?

Meia rolha; aproximadamente o diâmetro da abertura de um umbigo normal, de uma moeda de cinco cêntimos ou da tampa de uma garrafa de dois litros de refrigerante; a altura de uma pilha de 40 cartões multibanco; dois dedos mindinhos juntos; a lombada do livro “Conduz o teu arado sobre os ossos dos mortos”, de Olga Tokarczuk, edição inglesa, capa mole; etc, etc, etc…

… também a alegada distância entre as partes dos corpos que podem jogar a bola de Darwin e Mbemba supostamente mais perto da baliza no hipotético momento em que a bola deixou de estar em contacto com o pé de Otamendi.

E, por exemplo, da palavra “roubo” no ecrã do meu portátil, zoom a 100%, tipo de letra Times New Roman, a negrito, tamanho 18.

Já em 31 de janeiro de 2020 defendi, em crónica publicado no O Benfica, que escolher o frame exacto na avaliação de um fora de jogo é, de certa forma, aleatório. E expliquei porquê:

A velocidade média de um jogador de futebol, quando arranca e sprinta, é 29 Kms/hora (35 metros em 4.3 segundos). Ou seja, ligeiramente acima de 8 metros por segundo. Se o VAR, em Portugal, usar 300 frames por segundo, o que estaria na vanguarda deste tipo de tecnologia, significa que, entre cada frame, há uma distância média de 2,7 cms.

Na altura desconhecia quantos frames por segundo permitia a tecnologia usada no futebol, daí a referência à vanguarda de então neste domínio. Parece que são 50, ou seja, entre cada frame, pode haver uma diferença média de 16,2 centímetros.

Para agravar, no futebol português acresce à descrença generalizada quanto à escolha dos frames correctos, as suspeitas sobre os pontos de análise escolhidos, isto é, quando a bola é passada e a posição das partes dos corpos dos jogadores que podem jogar a bola.

Muita razão tem o Benfica em exigir uma auditoria externa à utilização do VAR nos lances de fora de jogo, nomeadamente os decididos em função de escassos centímetros.

Analistas externos e independentes repetirem o processo que sustentou as decisões mais complicadas seria a forma de se perceber se as decisões tomadas foram, ou não, as mais possivelmente correctas. Seria a prova de que teria havido sempre boa-fé e que o insustentável clima de pressão e coacção do futebol português não teria influenciado a escolha deste ou daquele frame em cada lance.

E das duas uma: as suspeitas passariam a ser infundadas ou ter-se-ia dados que fomentassem a instituição de melhores práticas neste capítulo da vídeoarbitragem, eventualmente concluindo-se até que um ou outro árbitro não poderia alguma vez voltar a desempenhar a função.

Esta é uma medida concreta e facilmente implementável em nome da transparência. E é aviltante que a luta pela transparência no futebol português provoque tantas ondas de choque.

Jornal O Benfica - 13/5/2022

Números da semana (74)

2

Somos bicampeões nacionais de futebol (feminino)! Com 2 jornadas da fase de apuramento do campeão por disputar, são 9 os pontos de vantagem na liderança, fruto do pleno de vitórias, e título assegurado;

Também de basquetebol (feminino), a culminar uma época perfeita: Supertaça; Taça Federação; Taça de Portugal; Campeonato Nacional;

E 2 foram os centímetros que o VAR do jogo com o FC Porto conseguiu descortinar para anular o grande golo de Darwin no clássico. Com a tecnologia existente, é virtualmente impossível determinar um fora de jogo por tão escassos centímetros. E tendo em conta que a lei refere que, na dúvida, beneficia-se o atacante, estas decisões centimétricas são evidentemente contrárias ao espírito da lei. E também por aqui se nota a fabulosa evolução de Darwin desde que chegou ao Benfica: se no jogo da Taça de Portugal frente ao FC Porto teve um golo anulado por apenas 4 centímetros, agora, com o mesmo adversário, já só foram 2;

3

Somos tricampeões nacionais de polo aquático feminino;

10

Que grande desempenho – mais um – da nossa equipa de voleibol na final do Campeonato Nacional. Com a conquista do 10º Campeonato do nosso palmarés, passámos a ser o 3º clube com mais títulos na principal prova nacional, uma escalada impressionante na última década, com 7 títulos em 9 temporadas. Este é o 2º tricampeonato da nossa história no voleibol masculino;

14221

Está estabelecido o novo recorde nacional de espectadores num “jogo oficial” de futebol feminino. No melhor palco, pelos melhores adeptos do mundo (e alguns sportinguistas também), no jogo de consagração de uma grande equipa benfiquista. Foi uma formidável jornada de promoção da vertente feminina do futebol, o Benfica está duplamente de parabéns!

Jornal O Benfica - 13/5/2022

segunda-feira, 9 de maio de 2022

Números da semana (73)

1

A nossa equipa feminina de futebol está a um empate de se sagrar bicampeã nacional no próximo jogo, sabendo que, em caso de derrota, continua na liderança da classificação à entrada da penúltima jornada. O jogo com o Sporting é no estádio da Luz, domingo, às 16 horas e espera-se uma grande casa para apoiar as “Inspiradoras”, sendo expectável que o recorde nacional de espectadores num jogo de futebol feminino seja superado;

E 1 é também o número de vitórias que nos falta para conquistarmos os títulos de voleibol (masculino) e polo aquático (feminino), tricampeonatos em ambos os casos;

2

Veríssimo promoveu mais 2 estreias na equipa de honra do Benfica, Sandro Cruz e Tiago Gouveia, e subiu para 34 o número de jogadores utilizados em “jogos oficiais” na presente temporada;

 

3

Está definida a classificação do Benfica no Campeonato na presente temporada: 3º. Em 88 edições da prova, é a 17ª vez que o Benfica se classifica na 3ª posição;

26

Darwin chegou aos 26 golos no Campeonato Nacional, igualando o pecúlio obtido por Cardozo, em 2009/10, época em que o paraguaio obteve a sua melhor marca na competição. Desde 1990, só Jonas, duas vezes (32 em 2015/16; 34 em 2017/18) marcou mais numa edição do Campeonato. Com os 6 na época de estreia, totaliza 32 e é o 45ºmelhor de sempre do Benfica. Considerando todas as competições oficiais, são 48 golos apontados pelo jovem uruguaio;

28

André Almeida passou a ser o 28º com mais jogos em competições oficiais pela equipa de honra do Benfica (308);

60

Fez esta semana 60 anos que o Benfica se sagrou bicampeão europeu. Aproveite e visite a exposição temporária “Benfica no topo da Europa”, patente no estádio e museu até 31 de maio. Vale a pena!

Jornal O Benfica - 9/5/2022

terça-feira, 3 de maio de 2022

É nossa !

Vencermos a UEFA Youth League foi uma das minhas maiores alegrias nesta extraordinária epopeia que é ser benfiquista. Não por um sentimento desproporcionado face à relevância da competição, mas por finalmente se ter feito justiça ao nosso Benfica, um dos melhores clubes do mundo na formação de futebolistas ao longo da última década.

Sendo eu, desde que me conheço, um dedicado seguidor das camadas jovens do nosso futebol, pesava-me a enorme frustração de constatar, ano após ano, e com três presenças em finais e sucessivas gerações repletas de jogadores promissores, que o magnífico trabalho feito pelo Benfica neste domínio não encontrava eco, como mais do que merecia, no palmarés desta prova.

Ademais, e como não sou hipócrita, não me custa reconhecer que me chateava o facto de o FC Porto ter conseguido ganhar este título num ano ocasional de vasto talento emergente. E este constrangimento ficou resolvido.

Agora há que retomar o caminho tão frutífero em anos ainda recentes, evitando-se eventuais exageros perniciosos, que também ocorreram.

Não que eu ache, como muitos advogam, que a aposta na formação tenha hibernado nos últimos dois anos: afinal, quem formou Gonçalo Ramos, Paulo Bernardo ou Morato? Mas temos condições (talento) para ir mais longe!

O que defendo parece-me muito razoável tendo em conta a enorme competência patenteada no Benfica Campus desde há vários anos.

Deve-se recusar a aposta na formação por decreto, centrando a questão unicamente no potencial de rendimento dos atletas, enquanto se implementa obstinadamente, mas sem pressas, uma política de escolhas em que a prioridade é dada aos jogadores formados pelo clube.

Por outras palavras, entre jogadores similares no binómio rendimento/potencial, desde que a variável rendimento se situe no patamar mínimo exigível, a escolha deve sempre recair naquele formado no Benfica. Não faz sentido o investimento numa incógnita quando, em casa, temos uma incógnita parecida, mas que conhece e sente o clube, além de ser mais barata.

Por racionalidade da gestão económica e financeira, por política desportiva e, sobretudo, por benfiquismo, este tem de ser o caminho, assim se acautele sempre o respeito pelo mais vincado traço identitário do clube, que passa pela maximização constante das possibilidades de conquista de títulos e troféus.

Parabéns, miúdos! Parabéns, Benfica!

Jornal O Benfica - 29/4/2022

Números da semana (72)

0

Número de clubes portugueses da primeira Liga que congratularam o Benfica pela conquista da UEFA Youth League (pelo menos nas 24 horas seguintes). Já estrangeiros sobejam os exemplos;

1

Finalmente vencemos a UEFA Youth League. Não precisávamos deste título para comprovar a excelência da nossa formação, uma referência a nível mundial. É um triunfo que vale por si só e certamente mais lhe sucederão;

2

Pelo menos dois “seguranças” estavam no recinto de jogo quando o Sporting fez o 31-30 no jogo de andebol com o Benfica. É factual, as imagens demonstram-no cabalmente, e motivo mais do que legítimo para que o jogo tenha sido protestado;

3

No ponto mais alto da história do futebol de formação do Benfica, Henrique Araújo fez um hat-trick. Notável!

4

O Benfica disputou a final da UEFA Youth League pela 4ª vez em 8 edições da prova. É o clube, a par do Chelsea, com mais presenças no jogo derradeiro da competição;

5

Luís Semedo foi o melhor marcador do Benfica na competição, tendo marcado, inclusivamente, um golo na meia-final e outro na final;

6

Calendário acertado e vantagem pontual reposta na liderança do Campeonato de futebol (feminino), quando faltam 4 jornadas;

12

Entre os campeões europeus sub19, Cher Ndour, Henrique Araújo, Martim Neto, Rafa Rodrigues e Samuel Soares são presença assídua na equipa B. Os restantes foram utilizados muitas vezes nos sub23, alguns deles, ocasionalmente, na B, como o António Silva, João Resende, Nuno Félix, Pedro Santos, Luís Semedo, Jevsenak e Diego Moreira. Este título passou muito pela utilização dos jogadores em escalões mais velhos, com competitividade acrescida;

15

Medalhas na Taça de Portugal de regatas em linha. O Benfica domina na canoagem.

Jornal O Benfica - 29/4/2022

Números da semana (178)

1 Terminadas as principais 7 ligas europeias e a Liga dos Campeões, Trubin foi o melhor guarda-redes sub-23 nos seguintes dados estatístic...