segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

O Benfica continua!

Era ponto assente que, independentemente das circunstâncias, o anúncio do abandono de Jorge Jesus do comando técnico da nossa equipa, provocaria as mais diferentes reacções entre os Benfiquistas.

Como sempre há aqueles que julgam que o clube irá “acabar”. No polo oposto encontram-se os que acreditam piamente que o sucesso Benfiquista obtido ao longo da história se deve exclusivamente à grandeza do Sport Lisboa e Benfica e à capacidade daqueles que, num determinado momento, o dirigem e o representam. A maioria, creio, sabe reconhecer que a glória alcançada é fruto do trabalho e dedicação de todos que contribuem para o engrandecimento da instituição, encarnando a expressão E Pluribus Unum que, mais que uma mera divisa, consubstancia o espírito Benfiquista, o verdadeiro e único motivo da grandeza do nosso clube.

Jorge Jesus, com toda a competência e mérito que lhe são reconhecidos, foi uma peça importante nas conquistas (e derrotas!) encarnadas nos últimos anos. No entanto, apesar do seu apelido, não é o messias. Sem as condições que lhe foram proporcionadas para desenvolver o seu trabalho, os jogadores colocados à sua disposição ou o apoio incessante da massa adepta do Benfica, o ex-treinador do Benfica apresentaria, ao fim destes seis anos e pese o seu valor, o mesmo currículo que tinha quando se juntou à família Benfiquista: Um deserto de títulos.


Esta constatação, que me parece indiscutível, deverá servir de lição para o futuro próximo. Independentemente do treinador a quem for dada a honra de liderar o futebol Benfiquista, dificilmente terá “pior” currículo que o nosso ex-técnico quando chegou à Luz. O resto manter-se-á certamente.

O Benfica - 12/6/2015

Fim de quarentena

Todos estamos agradecidos aos benfiquistas que há uns poucos meses dedicaram parte do seu tempo, dinheiro e esforço para homenagearem vint...