segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

É cedo para se tirar conclusões

A Supertaça tem um valor reduzido. É importante, na medida em que se trata de um troféu oficial, mas de âmbito limitado, por se tratar de um jogo apenas. No entanto, valerá certamente mais que as ilações tiradas sobre o desempenho dos seus intervenientes, geralmente extemporâneas e caracterizadas pela euforia entre os vencedores e o alarmismo entre os vencidos. Em suma, é cedo para se chegar a conclusões.

Não sabemos, por exemplo, se o mau desempenho do árbitro Jorge Sousa é indicador de má forma física ou se se tratará do regresso, passados alguns anos, de uma certa tendência da sua parte para nos prejudicar.

Desconhecemos, também, os índices físicos das equipas, sendo que me pareceu que o nosso adversário se apresentou mais solto e pressionante, talvez devido a uma preparação física mais acelerada por ter que disputar a eliminatória de acesso à fase de grupos da Liga dos Campeões.

Da mesma forma ignoramos o valor dos plantéis, numa altura em que subsiste alguma indefinição, seja por estarem ainda em aberto, seja por existirem novos jogadores a precisarem de tempo para se adaptarem a uma nova realidade.


O jogo, enfim, se é verdade que jogámos mal (no capítulo ofensivo), não menos o é que, ainda assim, dispusemos de oportunidades para nos adiantarmos no marcador e fomos penalizados por um lance fortuito do ataque sportinguista e um erro clamoroso de Jorge Sousa, como que a materializar uma espécie de malapata nesta prova, na qual, em dezassete presenças, saímos derrotados em doze. Recordo, aos mais pessimistas, que Rui Vitória apenas orientou a nossa equipa numa delas…

Jornal O Benfica - 14/8/2015

Fim de quarentena

Todos estamos agradecidos aos benfiquistas que há uns poucos meses dedicaram parte do seu tempo, dinheiro e esforço para homenagearem vint...