terça-feira, 25 de maio de 2021

Campeãs

Confesso o meu pessimismo quando, embora feliz pelo apuramento para a final dos playoffs, receei que a lesão da norte-americana Altia Anderson hipotecasse seriamente as hipóteses de vencermos, pela primeira vez, o Campeonato Nacional de basquetebol feminino. Julgava difícil com ela apta, afigurou-se-me quase impossível sem o seu contributo.

Claro que conhecia a inegável competência do plantel e treinador, além de ter plena consciência, pelas muitas provas dadas, do espírito de equipa e determinação da nossa equipa, mas do outro lado estava um clube que conta com três estrangeiras no plantel, foi três vezes campeão nas últimas cinco épocas e tinha vencido a fase regular.

E, depois, as detentoras da Taça de Portugal (também um título inédito para o Benfica) venceram com relativa facilidade o primeiro jogo da final, o que me levou, aí sim, a crer na possibilidade do título. A derrota no segundo jogo não surpreendeu e temi que o sucesso pleno não seria ainda uma realidade esta época, mas a nossa valorosa equipa, só com uma estrangeira, soube superar as adversidades e revelou-se imune à enorme pressão, fazendo um parcial de 7-0 na parte final do jogo que garantiu o triunfo, podendo assim celebrar o título mais desejado.

Este título ficará na história como o primeiro do Sport Lisboa e Benfica numa modalidade em que, apesar do regresso à competição há uns poucos anos (duas subidas sucessivas até à Liga, primeiro troféu ao mais alto nível em 2018/19 e dobradinha em 2020/21), era já longo o trajecto benfiquista. E passámos a ser o único em Portugal que, na vertente feminina, já foi campeão nacional pelo menos uma vez em cada uma das modalidades de pavilhão. Parabéns!

Jornal O Benfica - 14/5/2021

Sem comentários:

Enviar um comentário

Números da semana (179)

1 Nas estafetas mistas de triatlo, o Benfica sagrou-se campeão nacional; 2 No futebol de formação, o Benfica é bicampeão nacional de j...