terça-feira, 6 de abril de 2021

Prejudicados

O recorde já fora estabelecido em Faro, ao completarmos as primeiras vinte jornadas do campeonato sem qualquer grande penalidade assinalada a nosso favor. Desde então continuamos sem penáltis, apesar de, por duas vezes, graças ao VAR, os festejos pelo proto penálti inédito se terem revelado extemporâneos.

O Benfica tem razões de queixa neste domínio, embora estes dois últimos casos não devam ser acrescentados ao rol da crítica. Aceita-se ambas as decisões e a honestidade intelectual é uma marca do benfiquismo. Não clamamos, sem razão para tal como outros fazem, por isto ou aquilo da arbitragem. No entanto, não podemos, verificando-se uma óbvia tendência de prejuízo à verdade desportiva, “comer e calar”, como diz o povo.

Objectivamente, temos sido prejudicados ao longo da época. Bastaria, por exemplo, que tivessem sido assinalados os penáltis evidentes em Moreira de Cónegos, Faro e na Luz, com o V. Guimarães, para que, se concretizados, estivéssemos agora a sete pontos da liderança. E outros casos houve anteriormente.

Julgo que se deve aceitar o erro no futebol, mesmo com a utilização do VAR. O que é inadmissível, porém, são os erros tendenciosos. Em 2020/21, a extrema dificuldade em se assinalar penáltis a favor do Benfica só encontra paralelo na recorrente facilidade com que são concedidos ao F.C. Porto e na ocasional boa vontade em lances favoráveis ao Sporting.

Claro que o Benfica poderia e deveria ter-se exibido sempre ao nível do que tem feito nas últimas jornadas e fizera na entrada do campeonato, com justa margem de tolerância para o período em que muitos jogadores sofreram de COVID e demoraram a recuperar. Mas bastariam boas arbitragens e a pontuação seria outra, não podendo este facto ser escamoteado.

Jornal O Benfica - 26/3/2021

Sem comentários:

Publicar um comentário

Fantástico voleibol

Honra a quem a merece: a nossa equipa de voleibol é extraordinária e revalidou o título nacional com enorme mérito e maior competência. Cili...