sexta-feira, 2 de outubro de 2020

Mais do mesmo

Na semana passada insurgi-me contra o tratamento noticioso das contas apresentadas pela Benfica, SAD. Os excelentes resultados foram quase ignorados em detrimento do cumprimento apertado de uma recomendação da UEFA no âmbito do fair play financeiro.

Assim, já não estranhei que, após a eliminação da Liga dos Campeões, se multiplicassem os Nostradamus, mesmo reconhecendo o forte revés, desportivo e financeiro, que o desaire implica. Qualquer um perceberá que a sonegação dessa enorme receita é muito relevante, mas daí até cenários apocalípticos vai uma grande distância.

Vi de tudo, até alguém, publicado num jornal de economia, a confundir o montante de uma compra com o custo contabilizado dessa compra numa época. Não há grande mal que o cidadão comum ignore o conceito contabilístico de amortizações... a menos que o atropele num meio especializado.

Como este houve outros, só diferindo na criatividade com que abordaram a questão. De todos resultou a mesma lapalissada: A Benfica, SAD, se não vender jogadores, dará prejuízo.

Mas convém realçar que 2020/21 só terminará em 30 de junho. Havendo necessidade de vender jogadores, tanto poderá ser hoje como no final da época. E confirmando-se o hipotético prejuízo, qual é o problema que ocorra de vez em quando? A lucrar há sete anos consecutivos, a Benfica, SAD tem capitais próprios a rondar os 161 M€, significativamente acima do capital social, comprovando que há resultados acumulados positivos. Acresce que não existe para distribuir dividendos aos accionistas. E num ano em que se investe fortemente no apetrechamento do plantel, é natural que se verifique deficit, sabendo-se que se incrementa a probabilidade de retorno desportivo e financeiro...

Jornal O Benfica - 25/09/2020

Sem comentários:

Enviar um comentário

Números da semana (180)

1 A equipa feminina do Benfica de minitrampolim sagrou-se campeã nacional; 3 O canoísta Fernando Medalha conseguiu 3 medalhas no Campe...