quarta-feira, 15 de abril de 2020

Quarentena III


Na semana passada partilhei a minha embirração pelos discursos, mais moralistas que moralizadores, no ocaso dos telejornais, proferidos por pivots imbuídos de um sentido de missão que, de tão sofregamente manifestado, já se confunde com insistência numa receita supostamente vencedora de audiências. Esses pivots, a continuarem assim, e tendo em conta as naturais limitações das redacções, ainda terão de contratar autores de livros de auto-ajuda para lhes escreverem o sermão diário...

Mas, verdade seja dita, poderia ter referido outros casos como, por exemplo, o aproveitamento generalizado das marcas para, seja por comunicação directa, seja via publicidade, nos atolarem de mensagens pseudo inspiradoras e alertas variados, além de, entretanto, nos lembrarem que existem, claro está. Enfim, já não se pode cumprir uma quarentena em paz.

E, mesmo desligando a televisão ou evitando a publicidade, nem sequer se pode aguardar serenamente pelo fim da quarentena quando esta se revela terreno fértil para a hipocrisia. Veja-se o jornal O Jogo, ao qual só lhe falta defender na sua primeira página, e mais valeria que o fizesse, que o título de campeão covid-19/20 tem de ser atribuído inapelavelmente ao Porto. Quase todos os dias, senão todos, merece destaque algo que indicie ser essa é a única solução possível. A acontecer, o que seria um autêntico apito infeccioso, não surpreenderia por aí além. Nem também que o festejassem alegremente... Resta-me acrescentar que já não detectava tanto empenho do jornal O Jogo desde a última entrevista feita a Pinto da Costa em que, miraculosamente, conseguiu evitar questionar o presidente portista sobre o estado financeiro da SAD e do clube a que preside.

Jornal O Benfica - 10/04/2020

Sem comentários:

Enviar um comentário

Números da semana (180)

1 A equipa feminina do Benfica de minitrampolim sagrou-se campeã nacional; 3 O canoísta Fernando Medalha conseguiu 3 medalhas no Campe...