terça-feira, 25 de junho de 2019

Canelada


Permitam-me a fantasia: as várias instâncias dos tribunais confirmam a sentença e o F.C. Porto é punido pelo que fez ao Benfica no “caso dos emails”. FPF, LPFP, CMVM, AdC e outras que me possa estar a esquecer agora actuam em conformidade. Estaríamos, nesse cenário, perante a possibilidade da realização de um desafio entre Canelas F.C. 2010 e F.C. Porto lá para 2028 numa divisão distrital da AF Porto.

O muito antecipado confronto entre as equipas, dir-se-á na altura, remonta a 2019 e começara a ser disputado fora do campo: em Vila do Conde, após um Rio Ave – F.C. Porto; e no Dragão, meia hora depois de um F.C. Porto – Aves. Foi evidente o antagonismo entre atletas de ambas as equipas nessas ocasiões. Apesar de vestidos com cores portistas, os do Canelas insultaram os portistas, o capitão até se despiu num acesso de fúria, enquanto os segundos assistiram impávidos e serenos, mas obviamente contrariados, ao comportamento animalesco dos primeiros, presumivelmente sancionado por bula pontifícia. Por falar em Papa, então há muito mudado para Vigo, já pouco se lhe ouve. Até o sempre solícito jornal O Jogo prescindiu de uma entrevista. Se às três primeiras perguntas a resposta repetida poderia fazer sentido, à quarta, instado a comentar as palavras do protocandidato Moreira, outra vez “Calabote” pareceu deslocado.

E chegou o desafio. Pepe, em teoria, seria suficiente para todas as macacadas dos atletas do Canelas, embora a evocação de Filipe “Vale-Tudo”, transferido há vários anos, fizesse sentido. A maior vítima foi mesmo o árbitro. Jovem, ambicioso, viu-se na contingência de não saber quem beneficiar. Um dilema inultrapassável! Pediu escusa e retirou-se.


Jornal O Benfica - 14/6/2019

Sem comentários:

Enviar um comentário

Sucesso continuado

Há um conto de Le Clézio sobre um menino prodígio que começara a aprender aos dois anos e, aos doze, já desafiava as mentes mais brilhante...